nossa democracia corre risco
assine a petição online aqui


31 de agosto de 2010

Morte por greve de fome gera críticas a Chávez

Agricultor protestava contra a expropiação de terras por parte do governo venezuelano

Caracas - A morte do agricultor Franklin Brito, que estava em greve de fome há meses para protestar contra a política de expropriação de terras - da qual ele mesmo foi vítima -, provocou críticas nesta terça-feira contra o silêncio do governo do presidente Hugo Chávez.

Depois de seis anos de protestos para recuperar a plena propriedade de suas terras e oito greves de fome, o agricultor de 49 anos faleceu na segunda-feira no hospital militar de Caracas, onde estava internado - contra sua vontade, segundo sua família. AFP

Financial Times: estádio corintiano é caro e ultrapassado

Publicação inglesa diz que estádio escolhido para sediar a abertura da Copa de 2014 dificilmente ficará pronto no prazo estabelecido pela Fifa

Um artigo publicado nesta terça-feira (31) pelo jornal britânico Financial Times critica a decisão da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) de sediar a abertura da Copa do Mundo de 2014 no estádio do Corinthians - que ainda está no papel. O artigo afirma que "dificilmente o estádio ficará pronto até 2012", o prazo estabelecido pela Fifa para que o estádio esteja dentro das exigências da federação. Por Cacau Araújo

Chávez vai roubar as eleições parlamentares?

O papel crucial das FALSAS PESQUISAS para amparar uma fraude eleitoral

O texto abaixo trata sobre o “caminho” que o caudilho-necrófilo poderá seguir para fraudar as próximas eleições em setembro. Parece que o Chávez andou se inspirando e tomando lições, por aqui, com a campanha da petista. Isto, sem falar que as urnas eletrônicas de lá, da Venezuela, são mais confiáveis que as nossas, segundo o especialista Brunazo, pois elas emitem um comprovante impresso que é depositado nas urnas convencionais. Por FDS (Arthur)


Texto de Carlos Alberto Montaner
A situação na Venezuela está se tornando perigosamente tensa. Ramón Guillermo Aveledo diz que as eleições parlamentares de 26 de setembro podem ser as últimas no país. Aveledo, um prestigiado advogado, escritor e ex-presidente do Congresso, é o secretário-executivo da Mesa da Unidade Democrática, a organização aglutinadora da oposição unida.

Pedido de Lula a empreiteira por estádio do Corinthians é vergonha

Está no blog do jornalista Guilherme Barros: "A construção do estádio do Corinthians pela Odebrecht contará com financiamento do BNDES e isenção fiscal(...). O presidente Lula, que também é corintiano, foi o principal articulador do projeto do estádio do time" Já a Folha de S. Paulo publicou que "Lula sugeriu à empreiteira Odebrecht a construção do estádio para o clube" — clique aqui para ler.

Na mesma Folha, a coluna de Mônica Bergamo trouxe a informação no dia 25 de agosto: "Lula entrou em campo para ajudar o Corinthians a construir o seu estádio. Ele está 'estimulando fortemente o Emílio Odebrecht', da Odebrecht, a fazer a arena, diz um interlocutor do presidente. As conversas entre dirigentes do clube e a empreiteira estão a pleno vapor e um acordo pode ser anunciado nos próximos dias" — clique aqui e leia. por Mauro Cezar Pereira (*)

Areia nos olhos do público

A Receita Federal é um curioso organismo. Trata com implacável rigor o contribuinte, tido por definição como um sonegador em potencial a quem incumbe provar, obedecendo a exigências não raro bizantinas, que está com a sua vida fiscal em ordem. Ao mesmo tempo, para se autoconceder um atestado de inocência política, não se vexa de alegar que o vazamento das declarações de renda de pessoas ligadas ao candidato presidencial do PSDB, José Serra, se explicaria pelos indícios de existência de "um balcão de compra e venda de dados sigilosos", na delegacia do Fisco em Mauá, na Grande São Paulo, com vítimas a granel. Editorial O Estado de S. Paulo

Festa na véspera

As ratazanas já estão brigando pelos espojos antes mesmo do fim da guerra. Os petistas estão dispensando a hora magnânima de uma democracia: os votos nas urnas. Afinal, o que lhes dá tanta certeza da vitória? Até porque, como nunca antes neste país, as pesquisas de opinião foram colocadas na berlinda e suscitaram tanta desconfiança. Dias atrás, escrevi que o lulopetismo jamais que iria se descuidar dessa etapa, determinante, pela permanência no poder: dos votos - principalmente, depois de tanta empulhação, delinqüência e assalto às leis. Assim, a certeza que eles têm sobre os resultados do pleito, também é a minha: que as urnas eletrônicas estão devidamente preparadas para não contemplar nenhuma surpresa. (FDS) Arthur


Matéria de Miriam Leitão
Então é isso? Uma eleição cuja campanha começou antes da hora acabou antes que os votos sejam depositados na urna? A vencedora de véspera já estendeu a mão, magnânima, à oposição; seus dois maiores caciques começaram uma briga intestina; cargos são distribuídos entre os partidos da base e os assessores já preparam os planos e projetos.

30 de agosto de 2010

Desvios no Incra: Com aparelhamento, governo do PT permite roubos em série, critica Jungmann

Jungmann: Cidadão paga a conta da incúria do governo federal

A descoberta de um esquema que desviou pelo menos R$ 12 milhões da reforma agrária no Mato Grosso do Sul demonstra que há um descontrole na área, facilitado pelo aparelhamento do Incra e do próprio Ministério do Desenvolvimento Agrário por movimentos como o MST. A opinião é do ex-ministro da pasta e atual deputado federal, Raul Jungmann (PPS-PE), para quem a partidarização da reforma agrária facilita o assalto aos cofres públicos. "O governo Lula não só permite que esses roubos aconteçam em série como vem dando um péssimo exemplo de como aparelhar a máquina pública", afirma.

William Waack, da Globo, solta um “cala a boca” durante fala de Dilma

Um sonoro “manda calar a boca” atribuído ao apresentador William Waack vazou no ar na edição do Jornal da Globo da última quinta-feira (26), durante uma reportagem com a candidata petista. O desabafo do global foi ouvido justamente quando ela embromava sobre o caso da violação de dados do Imposto de Renda de pessoas ligadas à campanha de José Serra. Se o vídeo não abrir clique aqui





A Globo se desculpou por fala do apresentador, mas o fato é que ninguém suporta mais os atos criminosos da quadrilha e o festival de mentiras! Parabéns e obrigado, William! Você falou por todos nós! Arthur

Chegou a vez do Pontal de Paranapanema. Para felicidade de Rainha

Área no Pontal do tamanho do Rio é considerada terra devoluta

Tudo indica começou a expropriação de terras, em massa (e mal disfarçada), no país. O lulopetismo, confiante, está se lixando se tais notícias, ainda em período pré-eleitoral, podem aumentar o receio contra sua anta preferida, que certamente tratará de consumar o confisco massivo, tão logo ela se eleja.

Esta medida do STJ contra os agricultores do Pontal atinge mais de cem propriedades rurais, entre elas dezenas de fazendas agrícolas e de criação de gado. Na semana passada, publiquei a matéria “Governo estuda criar outra reserva em RR”, informando que a nova área escolhida (no município de Bonfim), por parte dos produtores rurais que foram expulsos da reserva indígena Raposa Serra do Sol, novamente está na mira do governo federal. Uma óbvia perseguição. Agora chegou a vez do Pontal do Paranapanema, em São Paulo, reduto do marginal condenado (inclusive, por assassinato), José Rainha, que, segundo a matéria abaixo, vai pressionar para que a decisão seja executada de imediato. Por FDS (Arthur)

Apagão Nacional


Várias indagações sobre o futuro de Dilma Rousseff foram feitas por Eliane Cantanhêde (Folha de S. Paulo, dia 20 último), caso a ex-ministra se eleja à Presidência. Mas a jornalista não chegou a conclusão alguma “simplesmente porque não se sabe quem é a própria Dilma”.

No mesmo dia da publicação do artigo de Eliane, este repórter recebeu de Cida M. e-mail cheio também de indagações sobre o que a remetente chama de “apagão biográfico” da candidata de Lula. Afora o currículo escolar, poucos dados familiares e ações contra o regime de 1964 — que atraíram muitos jovens —, dela nada se sabe. Por Rubem Azevedo Lima

A busca da hegemonia

A estratégia de supressão da verdade no Brasil Caminha em três frentes, conforme os ensinamentos do comunista italiano Antonio Gramsci. Na semana passada foi dado mais um passo importante nessa direção

Há dois meses, um político respeitável testemunhou uma cena insólita no gabinete do presidente Lula. Aliado de primeira hora do governo, ele discutia estratégias eleitorais com o presidente. De repente, sem se anunciar, irrompeu na sala o ministro Franklin Martins, da Comunicação Social, eufórico, com as mãos ocupadas por recortes de jornal com notícias sobre a criminosa ofensiva desencadeada pela presidente da Argentina contra a imprensa. Citando trechos das reportagens, Franklin se entusiasmava com a ousadia de Cristina Kirchner em sua guerra contra os jornais e emissoras de televisão argentinos. Por Otávio Cabral

A oligarquia de esquerda

O jargão "por uma sociedade mais justa" pode ser falado pelo pior dos canalhas.

Você acredita em justiça social? Tenho minhas dúvidas. Engasgou? Como pode alguém não crer em justiça social? Calma, já explico. Quem em sã consciência seria contra uma vida "menos ruim"? Não eu. Mas cuidado: o jargão "por uma sociedade mais justa" pode ser falado pelo pior dos canalhas. Assim como dizer "vou fazer mais escolas", dizer "sou por uma sociedade mais justa" pode ser golpe. Texto impecável de Luiz Felipe Pondé

29 de agosto de 2010

É a destruição das Forças Armadas que está em curso

Texto do Nivaldo Cordeiro, sobre as graves modificações introduzidas na estrutura do ministério da Defesa e na criação do Estado-Maior das Forças Armadas.

“É a própria destruição das Forças Armadas que está em curso. É o aparelhamento da estrutura militar, sua sovietização. Finalmente o PT deu o passo mortal para fundir o partido com a estrutura militar, fato que já havia conseguido com demais órgãos e carreiras de Estado. É o totalitarismo com todas as letras. A nova estrutura aprovada prepara o caminho para o passo final. A carapaça do Exército de Caxias foi finalmente quebrada e a estrutura de comando diluída”. Você lê o texto aqui “A sovietização das Forças Armadas

Sigilo fiscal pode ter sido usado para extorquir

Fontes da Receita Federal afirmam que não apenas a compra e venda de dados estariam por trás da violação do sigilo fiscal, como afirmou o chefe do órgão, Otacílio Cartaxo. Além da motivação político-eleitoral, para vasculhar a vida de oposicionistas e jornalistas independentes, haveria um esquema de extorsão a empresários e a celebridades e aristas, para “doações” e outros tipos de “ajuda” a campanhas políticas.

Represálias: Suspeita-se que empresários e artistas eram pressionados a colaborar com doações e/ou engajamento, sob pena de represálias fiscais. Por Cláudio Humberto


Se a quadrilha já está agindo assim, tão agressivamente, bem no meio da campanha, quando deveriam disfarçar ao máximo, suas aptidões criminosas, para não comprometer a eleição da anta de estimação do Lula, imagine o que eles farão depois que a bandida assumir o poder?

Meterão os pés em nossas portas, carregarão nossos pertences, exatamente como fazem as milícias chavistas. Por (FDS) Por Arthur

Dilma já foi camelô, contrabandeou e vendeu bugigangas

Dilma não foi capaz sequer de “tocar” um negócio de bugigangas contrabandeadas. O que dirá presidir um país?

Sob o nome Pão & Circo, empresa da petista vendia artigos trazidos por ela do Panamá. Nem só de política e cargos públicos viveu a presidenciável Dilma Rousseff (PT). Entre uma função e outra no Rio Grande do Sul, ela investiu no mundo empresarial com uma loja de bugigangas importadas do Panamá. O negócio, que durou um ano e cinco meses, fechou em julho de 1996 e é omitido de sua biografia oficial.

Com o nome fantasia de Pão & Circo, inspirado na estratégia romana para calar as vozes insatisfeitas, a empresa foi registrada para comercializar confecções, eletrônicos, tapeçaria, livros, bebidas, tabaco, bijuterias, flores naturais e artificiais, vendidos a preços módicos.

Milhares de conservadores no Lincoln Memorial, em Washington

Eis o porquê os americanos são o que são, e nós somos o que somos. Se eles fizeram a besteira de eleger um líder que não mais corresponde aos seus anseios, agora estão tratando de se mobilizar para mudar a situação. Enquanto que aqui, elegeremos pela 3ª vez (ainda que indiretamente) um populista salafrário, contra o qual dificilmente teremos a mesma capacidade de reagir. Lá, eles podem fazê-lo porque contam com líderes de direita, os republicanos, para organizá-los. Aqui no Brasil, tudo que temos é a falta de opção: somos reféns da esquerdopatia – tanto da “doente crônica” quanto da “pouco menos doente” social democracia. Por isto, não temos quem nos defenda. FDS (Arthur)

A matéria: Estima-se que dois milhões de americanos participaram da manifestação de ontem. Quase meio século após Martin Luther King proferir o histórico discurso “Eu tive um sonho” no Lincoln Memorial, dezenas de milhares de pessoas se aglomeraram ontem no mesmo local, em Washington, num ato para “reviver os valores americanos”.

28 de agosto de 2010

No país das Bolsas

Não nos restam mais do que vagos e deficientes indícios de democracia. Para identificá-los já se requer, inclusive, uma certa capacitação técnica. É necessário saber onde procurar. E é preciso usar, como fazem os peritos, os elementos de contraste que permitem discernir traços do que praticamente desapareceu.

Ninguém recusará que: a) quanto maior a concentração de poder político, tanto menor a democracia; b) quanto maior a influência do poder econômico, tanto mais frágil a democracia; c) quanto menor a credibilidade do parlamento, tanto menor o crédito na democracia; d) quanto maior a influência do poder político sobre os meios de comunicação, tanto pior a qualidade da informação e menor a capacidade de análise sobre os fatos que influenciam a vida das pessoas. E, consequentemente, suas decisões eleitorais. Tudo isso e muito mais já ocorre no Brasil. Em proporções avassaladoras. Por Percival Puggina

Freire: “Receita é usada para chegar a estado policial”

“Não importa a motivação. Fato é que a Receita Federal, órgão importante da República brasileira está sendo utilizada de forma abjeta para instalar um estado policialesco e totalitário no Brasil”. Assim o presidente do PPS, Roberto Freire, reagiu à explicação da Corregedoria da Receita de que a quebra de sigilos de 14 pessoas descoberta até agora – a maioria de dirigentes do PSDB – era fruto de um balcão no qual funcionários públicos atendiam a demandas de fora. “O Estado não pode ser uma arma apontada para a cabeça dos cidadãos, como parece ocorrer agora, em pleno período eleitoral”.

Freire diz que “qualquer que seja a versão [oferecida pelo governo], ela só demonstra o grau de degradação moral a que chegou o Estado neste governo”. Por Valéria de Oliveira

A ditadura Dilma

A opinião pública brasileira chegou a um estado inédito de letargia. Do alto de seus quase 80% de aprovação, Lula pode dizer qualquer coisa. O bom entendedor está arrepiado.

Em sua excitação de Midas eleitoral, com a candidata fantasma disparando nas pesquisas, o presidente fala pelos cotovelos – e seus cotovelos andam dizendo barbaridades. A mais grave delas, para variar, passou despercebida. Reclamando do Senado Federal, que lhe foi menos servil do que ele desejava, Lula anunciou: “Penso em criar um organismo muito forte, juntando todas essas forças que nos apóiam, para que nunca mais a gente possa permitir que um presidente sofra o que eu sofri”. Por Guilherme Fiuza


A construção do estádio do Corinthians pela Odebrecht contará com financiamento do BNDES e isenção fiscal


A construtora pretende utilizar a linha especial criada para a Copa do Mundo de 2014, a BNDES ProCopa Arenas. A linha de financiamento conta com aproximadamente R$ 4,8 bilhões para a construção e reforma de estádios que serão utilizados na Copa. O presidente Lula, que também é corintiano, foi o principal articulador do projeto do estádio do time. Por Guilherme Barros


Não existe almoço grátis, não é mesmo? Alguém tem que pagar!
Por volta do meio-dia na próxima segunda-feira 30, o Impostômetro, da Associação Comercial de São Paulo, vai registrar em tempo real a marca de R$ 800 bilhões na arrecadação de impostos. Em 2009, tal valor foi alcançado 39 dias mais tarde, portanto, em outubro. A entidade estima que a mordida do Leão em 2010, considerando o apetite da fera, será da ordem de R$ 1 trilhão e 200 bilhões. Por Ricardo Boechat

“Generosidades” em um país que se gaba por “trocar jegues por motos”

Duas notícias aparentemente sem nexo:

Primeira: Universidades públicas brasileiras receberão 500 estudantes haitianos em outubro, além de fornecer bolsa mensal, passagens aéreas e verbas para acomodação.

Segunda: A história de uma menina que viaja 100 km para chegar à escola todos os dias, enfrentando caminhos de pedra, cruzando com cobras, viajando de balsa, etc. A gente sabe que não é caso isolado, mas a realidade de muitos brasileiros que tentam estudar.

Para o governo, pobre não precisa de saneamento e sim de banda larga?

A Telessauro, digo, Telebrás, anunciou as cem primeiras cidades a serem atendidas pelo Plano Nacional de Banda Larga, que oferecerá aos consumidores banda larga por R$ 35, podendo chegar a R$ 15, se houver isenção de impostos, na velocidade de 512 quilobites por segundo.

Sugestão de pauta deste blog aos jornalistas: investigar quantas das cidades atendidas possuem saneamento básico, saúde e educação em níveis ao menos razoáveis. É muito provável que muitas delas não tenham nada disso, mas certamente tem bolsa família e agora terão o “bolsa internet”.

Qual a lógica política que permeia essa iniciativa? Ao ter acesso subsidiado à internet, o morador de Piripiri, no Piauí, por exemplo, terá condições de melhorar de vida? O saneamento básico e a saúde pública ficarão melhores? ele se educará de forma autodidata pelo Google? É isso? Alguém me explique...Por Renato Pacca

27 de agosto de 2010

Gastança para inflar a candidatura de Dilma faz o país ter o pior superavit desde 2001

Irresponsabilidade Fiscal

Nem mesmo o BC acredita no cumprimento da meta de 3,3% do PIB

Se os analistas tinham ainda alguma dúvida sobre a possibilidade de o governo cumprir a meta de superavit primário deste ano, ela se dissipou completamente ontem, com a divulgação dos dados relativos ao setor fiscal. A gastança desenfreada dos últimos meses com o intuito de inflar a candidatura da petista Dilma Rousseff à Presidência da República fez com que as contas públicas tivessem, em julho, o pior resultado da série história do Banco Central iniciada em 2001. Por Vânia Cristino

Relação das 140 vítimas da devassa generalizada do Estado lulista

“Fidelidade é coisa de cachorro”

A família que comanda as Casas Bahia, empresa vendida para  Abílio Diniz — o servo de luxo do lulismo — também foi vítima da devassa fiscal do petismo. E depois, as finas senhoras ainda têm a coragem de fazer média, participar de “chás da tarde”, com a candidata petista. Essa elite “vendida” pensa mesmo que vai se dar bem no reino da canalha. Pois serão os primeiros a experimentar a “corda”. Por FDS (Arthur)

Acessos a dados na Receita atingiram personalidades e empresários fora do campo tucano

Além de tucanos, aliados e parentes do candidato à Presidência José Serra (PSDB), o terminal da analista tributária Adeildda Ferreira Leão dos Santos, na Delegacia da Receita Federal em Mauá (SP), serviu para a devassa dos dados fiscais de personalidades, empresários e contribuintes que vivem a milhares de quilômetros do ABC paulista. Por Roberto Maltchik

É assustador, mas este pleito 2010 não passa de uma grande farsa

Poucos devem estar percebendo que nós já estamos sob um estado totalitário, que está esmagando e atropelando, sistematicamente, qualquer vestígio de lisura e possibilidade de um pleito realmente democrático.

De um lado, temos os tribunais eleitorais, devidamente aparelhados por Lula, criando leis absurdas e fechando os olhos para as transgressões do governo — que abusa e pisotea as leis — enquanto os pusilânimes magistrados juram que ‘Cristo morreu de frio’. De outro, temos os institutos de pesquisa — meras engrenagens da maquinaria lulista — agindo como se fossem putas velhas, dominadas pelo cafetão da hora, se prestando a tentar definir as eleições oferecendo dados imprecisos e falaciosos.

26 de agosto de 2010

Carga tributária causa dano à saúde?


A Associação Comercial de São Paulo quer dar um susto no contribuinte

Vai instalar três calculadoras especiais para dizer às pessoas quanto elas pagam de imposto. A iniciativa será, tipo assim, um complemento ao impostômetro – o “relógio” da Rua Boa Vista, no centro de São Paulo, que informa online quanto o país já embolsou em impostos.

Autoritarismo cerca liberdade de expressão na América do Sul

Controle Social é ameaça continental. E o Brasil também está em risco

Milhões de cidadãos sul-americanos estão ameaçados de perder suas fontes independentes de informação e de passarem a receber notícias através de um filtro governamental. É o chamado “controle social da mídia”, um projeto caro a governos ditos de esquerda, autoritários e neopopulistas, eufemismo de censura.

É o que se passa, há anos, na Venezuela, onde Hugo Chávez persegue os meios audiovisuais (TV, rádio) críticos. Na semana passada, a Justiça, controlada pelo chavismo, impediu jornais e revistas de publicarem imagens e textos sobre a violência que dilacera o país (o número de homicídios em 2009 foi superior ao das mortes no Iraque). Depois, um tribunal voltou atrás, mas o dano à liberdade de expressão já estava feito. Editorial O Globo

Lula sanciona lei que amplia poderes do ministro da Defesa

Forças Armadas subordinadas ao petismo

Antes coadjuvante, chefe da pasta comandará as Forças Armadas

O presidente Lula sancionou ontem lei que cria um superministro da Defesa. O titular do cargo -hoje Nelson Jobim- ganha mais poder, enquanto as Forças Armadas se tornam subordinadas legalmente ao Ministério. Entre as mudanças, por exemplo, é que o ministro da Defesa passará a decidir quem serão os comandantes das Forças Armadas. Pela lei atual, ele é apenas ouvido. Por Simone Iglesias

Comitiva do Itamaraty vai a Roraima discutir integração fronteiriça

Uma comitiva chefiada pelo subsecretário-geral da América do Sul, Central e do Caribe do Ministério das Relações Exteriores (MRE), Antônio José Ferreira Simões, chega a Roraima no início da tarde desta quinta-feira, 26. O grupo vem acompanhado do representante das Centrais Elétricas Brasileiras S.A (Eletrobrás), Pedro Luiz Jatobá, e se reúne, às 16h, no Palácio Hélio Campos, com representantes do governo estadual e de segmentos sociais, a fim de discutir a integração entre Brasil, Guiana, e Venezuela.

Embaixador brasileiro em Caracas de 2008 a 2010, Antônio José Ferreira Simões tem vasto conhecimento sobre a fronteira norte do país e segue na sexta-feira, 27, para Georgetown, onde se encontrará com o presidente da Guiana, Bharrat Jagdeo. A finalidade da visita é dá prosseguimento aos trabalhos iniciados pelo Comitê de Fronteira em novembro de 2009.

Governo estuda criar outra reserva em RR. Começou a expropriação pra valer!

Índios querem BNDES na Raposa Serra do Sol

Está na mira do governo federal a área escolhida por parte dos produtores rurais que tiveram de sair da reserva indígena Raposa Serra do Sol por determinação judicial. Parte do município do Bonfim, em Roraima, pode ser transformada em unidade de conservação ambiental e, dessa forma, não poderá ser habitada nem ter exploração agrícola. Um estudo do Instituto Chico Mendes de Biodiversidade, ligado ao Ministério do Meio Ambiente, prevê a criação do Parque Nacional do Lavrado na região. Moradores reagiram e o governo recuou, ao afirmar que o projeto ainda está em análise. Os proprietários, no entanto, temem que a proposta seja retomada após as eleições. Por Cristiane Agostine, de Normandia (RR)

Delinquência estatal

Reféns do Estado

Notícia de que sigilo fiscal de mais três tucanos foi violado expõe de maneira didática o aparelhamento do Estado em prol de interesses partidários

Sabe-se, desde ontem, que Eduardo Jorge Caldas Pereira, vice-presidente do PSDB, não foi a única vítima da ação criminosa de funcionários da Receita Federal. Além dele, tiveram os seus sigilos fiscais violados três outros nomes ligados ao PSDB: Luiz Carlos Mendonça de Barros, ex-ministro do governo Fernando Henrique Cardoso; Ricardo Sérgio, ex-diretor da Previ; e Gregorio Marin Preciado, parente do candidato tucano à Presidência, José Serra. O caso, que já era grave, assume agora contornos escandalosos. Opinião da Folha de São Paulo

Além das novas tarifas na conta luz, válidas a partir de amanhã (27) ....

Teremos também o aumento de impostos, para compensar a incompetência da Petrobras

Setor elétrico acende a luz vermelha

Da reunião de ontem entre ministros e o presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, saiu algo incerto sobre o processo de capitalização da estatal petrolífera. Mas o setor de energia amanhece hoje de olho no Diário Oficial da União.

Quem entende do tema aposta que do encontro entre Erenice Guerra (Casa Civil), Guido Mantega (Fazenda) e Márcio Zimmermann (Minas e Energia) saiu uma Medida Provisória cabeluda que vai impactar o setor. Ou melhor, o bolso dos consumidores brasileiros.

25 de agosto de 2010

Agências reguladoras viraram depósito de lixo

Pobres de nós, pagadores

Agências acabaram virando depósito de políticos derrotados nas urnas e que precisavam ser acomodados ou então de apadrinhados dos políticos eleitos

As agências reguladoras foram criadas para estabelecer regras de atuação e fiscalizar determinados setores da economia, seja porque o Estado se retirava deles (telecomunicações e energia elétrica), seja porque a presença do Estado era inexistente ou pouco efetiva (planos de saúde e vigilância sanitária). Portanto, o papel destes órgãos é manter o equilíbrio entre os diferentes atores de cada setor, evitando que o poder econômico de um subjugue o interesse dos demais. Por Manuelito P. Magalhães Júnior

O “Estado” recebe moradores de rua na reinauguração de seu Palácio

Don Luiz Inácio, o imperador de Garanhuns, o 'pai' do Brasil, ordenado e ungido pelo Divino, apesar de não estar sujeito à vontade do povo (e tampouco à de Deus), demonstrou mais uma vez a grandiosidade de sua ‘alma magnânima’ ao permitir que a ralé de rua adentrasse em seu suntuoso palácio.

A primeira “ação pública” da Corte Palaciana, cuja reforma do edifício custou a bagatela de R$ 111 milhões aos cofres públicos, foi abrir as portas do castelo para os moradores de rua.




Obviamente, que não sem antes uniformizá-los e, certamente, ordenar um bom banho aos catinguentos, reviradores de lixo, antes de permití-los aos nobres salões. Ah sim, aquele sujeito que aparece no canto direito com o pescoço pendurado, babando e sem uniforme, foi punido na saída: ficou sem o lanchinho. O “Estado” não pode tolerar tamanha ingratidão.

O Movimento Nacional da População de Rua foi recebido na tarde de ontem pelo Chefe do Gabinete Pessoal da Presidência da República, Gilberto Carvalho, e pela ministra de Desenvolvimento Social, Márcia Lopes, no Palácio do Planalto, no primeiro evento público desde a reforma do edifício.

Esse "Estado" só me comove! FDS (Arthur)

Lulismo e Chavismo, sem tirar nem pôr

O Chávez expropria fazendas, destrói os celeiros de produção, estatiza as empresas privadas, as distribuidoras de alimentos. E tudo que ele consegue é o fracasso retumbante da economia, o colapso pela falta de alimentos, graças à má gestão, incompetência e corrupção do Estado. E o que faz ele para resolver o problema? Simplesmente se volta contra outros empresários, expropriando suas mercadorias das prateleiras, sob a alegação de que eles são os culpados pela falta comida no país.

No Brasil, apesar do estágio, por enquanto, ser outro, Lula já demonstra que reza pela mesma cartilha bolivariana. Não é segredo para ninguém que a qualidade da infraestrutura brasileira é das piores no mundo. Tantos os portos quanto aeroportos, malhas rodoviárias, tudo está em frangalhos porque o governo federal não investe em infraestrutura.

Pesquisas polêmicas

Boas pesquisas são um insumo para a definição de linhas de comunicação que aumentam a percepção dos pontos fortes de uma candidatura e que explicam suas deficiências. As incertas podem fazer que um bom candidato se torne um perdedor.

Pesquisas nas quais não se pode confiar são um problema. Elas atrapalham o raciocínio. É melhor não ter pesquisa nenhuma que tê-las. Ao contrário de elucidar e ajudar a tomada de decisões, confundem. Quem se baseia nelas, embora ache que faz a coisa certa, costuma meter os pés pelas mãos. Por Marcos Coimbra

Não ao "dedazo" de Lula

“No meu caso, apoio José Serra, um político capaz de barrar uma estratégia do presidente Lula para manter o PT no poder central pelas próximas décadas”. –Por Roberto Freire

Lula optou por uma auxiliar direta, sem projeto político ou experiência eleitoral, mas capaz de cumprir à risca suas determinações: Dilma Rousseff

Nas eleições de 1970, em pleno "milagre econômico", o partido do regime militar teve uma vitória arrasadora. Os eleitores votaram maciçamente na antiga Arena e por muito pouco o MDB, o partido de oposição criado por imposição da ditadura, não se autodissolveu. Estava em curso um projeto de "mexicanização" do país.

“Palavra Aberta” - Entidades criam instituto em defesa da liberdade de expressão

Palavra Aberta promoverá estudos e seminários sobre o tema

Preocupadas com tentativas recentes e recorrentes de cerceamento, quatro entidades de classe do setor de comunicação criaram o Instituto Palavra Aberta, que tem como principal objetivo "a defesa da liberdade de imprensa e de expressão, inclusive comercial, de empreendimento e de iniciativa".

Além de decisões do Judiciário e propostas do Legislativo e Executivo que atentem contra a liberdade de imprensa, o Palavra Aberta combaterá iniciativas como a recente resolução da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) regulamentando a publicidade de alimentos e bebidas.

Obsessão

Os últimos dias foram plenos de informações sobre o que o governo brasileiro pensa sobre os meios de comunicação e seus projetos para implementar o que chama de "controle social" da mídia. Tudo o que se disse sobre o assunto indica uma comunhão de intenções entre o que já acontece em outros países da América do Sul, como a Argentina e a Venezuela, e o projeto de um futuro governo petista.

Na recente reunião do Foro de São Paulo realizada na Argentina, o grupo criado por Lula e Fidel Castro que reúne a esquerda da América Latina regozijou-se porque "setores sociais do Brasil, da Argentina e do Paraguai" conseguiram colocar em questão a credibilidade dos grandes meios de comunicação, provocando redução nos níveis de venda e audiência dos jornais impressos e da TV. Por Merval Pereira

Legislar o riso e sacralizar o poder?

Toda tentativa de tolher a liberdade de expressão engessa e, no fundo, tenta realizar aquilo que é básico numa democracia competitiva e igualitária: a discussão política que marca diferenças e estabelece limites para a multiplicidade de perspectivas vigentes num sistema centrado no cidadão. No Brasil, temos leis para tudo. Tantas, que até existe uma certa desconfiança de que o aparato torna os grandes bandidos "imprendíveis". Temos leis até para regular como as pessoas devem ser presas, porque se forem importantes deve-se evitar a "espetacularização" que, em todos os lugares, algema, numa prova cabal de que a polícia cumpriu o seu papel. Um país com uma etiqueta para aprisionar me preocupa. Estou convencido de que se tivéssemos uma Futebolbrás jamais teríamos sido pentacampeões do mundo, porque a convocação e nosso jogo seriam legislados, algo que muitos sentem falta. Seria proibido perder Copas do Mundo e a prática exclusiva do "futebol-arte" seria estabelecida por lei! Por Roberto DaMatta

24 de agosto de 2010

“Está na cara”: "quando Dilma fala sobre prisão, faz uma expressão bastante assustadora"

Sorrisos de Dilma e Serra: Especialista vai analisar políticos pelas expressões

Já estive no Brasil muitas vezes por conta do judô, em São Paulo, Rio de Janeiro e Salvador. Sei que é um país muito forte nesse esporte. Mas não acompanho a política brasileira. Não sei nada sobre Dilma Rousseff e José Serra, suas convicções políticas, o passado deles. É bom também lembrar que não sou cidadão brasileiro, por isso não voto e muito menos recebo benefícios de nenhum deles. Assim, pretendo passar nessa coluna apenas minhas impressões, que são baseadas no que vi nos trechos de vídeos que recebi, com legendas em inglês, da primeira propaganda eleitoral na TV. Por David Matsumoto

Golpe Constitucional

Lula governou este país com uma enxurrada de decretos. Mas ele quer muito mais

Publiquei dias atrás, que os governistas devem eleger 380 deputados do total de 513 vagas na Câmara, e que a oposição deverá ficar com uma bancada em torno de 130 a 140 deputados.

Também saiu na revista Época, deste final de semana: “Por um Senado companheiro”. Segundo as pesquisas do Datafolha, a aposta de Lula em derrotar senadores adversários e eleger no lugar uma bancada de amigos pode dar certo. Ele pretende eleger 18 senadores no Nordeste, além de impedir que alguns senadores oposicionistas se reelejam. Por FDS (Arthur)

Sinais contraditórios de PT e Dilma

A luta em defesa das liberdades de imprensa e, de modo mais amplo, de expressão ganha cada vez mais importância na América do Sul. Não apenas devido ao avanço do autoritarismo do caudilho Hugo Chávez contra jornais venezuelanos independentes, mas também ao recrudescimento, na Argentina, do cerco aos grupos “Clarín” e “La Nación” comandado da Casa Rosada pelo casal Kirchner. E a esses dois movimentos liberticidas se soma a ação de grupos políticos no continente, com representação no Brasil, em apoio a este garroteamento do jornalismo profissional, não chapa branca. Editorial O Globo

Expresso Tiririca é um biombo

Atrás dele, vão os verdadeiros artistas do circo fisiológico que o lulismo (e agora Dilma) alimenta.

Se a política é uma palhaçada, vote no palhaço. Resumida a seu cerne, é essa a mensagem em torno da qual Tiririca faz sua campanha para deputado federal pelo PR de São Paulo. O Congresso seria um circo, e o "abestado" pede seu espaço no picadeiro. Por Fernando de Barros e Silva

Vista calças

Pelas estatísticas de rendimento escolar e de criminalidade, o Brasiljá é o país mais burro e mais assassino do mundo. Terá se tornado também o mais covarde? O mais sicofanta? O mais subserviente?

A quota de mendacidade dos nossos governantes já ultrapassou os limites do que seria tolerável num mitômano doente sem esperança de cura. E a quota de servilismo com que as lideranças empresariais, jornalísticas, militares e eclesiásticas deste país aceitam como normal e respeitável essa conduta obscena já ultrapassou o nível do que se poderia admitir num escravo amarrado e chicoteado, que o feitor, por mero sadismo, obrigasse a concordar que as vacas botam ovos e as galinhas dão leite. Por Olavo de Carvalho

23 de agosto de 2010

Urnas biométricas não reconheceram as digitais de parte dos eleitores

Mesários sofrem com urna biométrica (sei, sei!)

Falhas no reconhecimento das impressões digitais dos eleitores nas urnas biométricas foram o problema mais frequente nas simulações de votação feitas com o equipamento no dia 21 em 43 municípios de 19 estados.

As urnas biométricas não reconheceram as digitais de parte dos eleitores na Bahia, em Goiás, no Rio de Janeiro, no Paraná, em Alagoas, no Ceará e em Pernambuco.



Vamos votar na terrorista? Vamos votar no elitista?

QUEM TEM CULHÃO? (Se o vídeo não abrir, clique aqui)

Pode piorar sim, Tiririca

Na semana passada teve início a edição 201 daquela hora da tristeza de ser brasileiro que é o horário político na televisão. Tal como se apresenta, ele não escapa de duas alternativas: a mistificação ou a indigência. Se a campanha é rica para cargo executivo e tem bons minutos na TV, não faltarão voos sobre as cidades e os campos, as florestas, os rios, as cachoeiras e os vastos horizontes, versão atualizada dos velhos filmes de Jean Manzon e do Amaral Neto Repórter como concordarão os últimos moicanos que ainda se lembram deles. A música apoteótica cabe o papel de reforçar o entusiasmo de quem já o possui ou despertá-lo nos que ainda resistem. Capturam-se no intervalo depoimentos de populares que, numa impressionante coincidência, se mostram todos, ricos e pobres, jovens e velhos, homens e mulheres, tomados de admiração pelo candidato. Por Roberto Pompeu de Toledo

Nem metade dos candidatos é formada

A lógica: Candidatos analfabetos para uma população analfabeta

Apenas 46,3% dos que disputam essa eleição têm ensino superior completo, 6 são analfabetos

Os aspirantes a cargos públicos com grau de instrução superior completo não chegam a metade dos que disputam essa eleição geral, ficando em 46,3%, segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A maioria dos analfabetos (cinco) concorre ao cargo de deputado estadual e um, a deputado federal. Somente para o cargo de vice-presidente há totalidade dos candidatos com ensino superior completo. Assim, quanto ao grau de instrução, o TSE identifica que seis candidatos são analfabetos, 133 afirmam que lêem e escrevem, 793 têm ensino fundamental incompleto, 1.730 completaram o ensino fundamental, 778 iniciaram o ensino médio, 6.239 finalizaram esse nível de instrução, 2.423 começaram um curso superior e 10.460 conseguiram diploma universitário. Por Cláudia Bredarioli

Estupradores em liberdade

O estupro de criancinhas, a pedofilia, é o crime da moda, com frequência assustadora. Os estupros são os crimes mais bárbaros e repulsivos. Estupradores não forçam somente uma relação sexual normal. Costumam praticar toda sorte de perversão, sexo anal, seguido de sexo oral e outros atos libidinosos cruéis. Muitos ainda torturam as vítimas, enfiando objetos nas suas cavidades naturais. As sequelas são terríveis e de difícil cura. É, pois, natural se esperar que os criminosos sexuais sejam severamente punidos. Não são. Somos, culturalmente, uma nação que privilegia os criminosos, necessariamente, em detrimento das pessoas de bem.

O sistema jurídico brasileiro estabelece penas absurdamente suaves para o estupro. Opinião de Maria José Miranda Pereira

Brasília, campeã em roubos e furtos

Como não? Brasília é o símbolo nacional da degradação moral. É óbvio que esse ambiente exerce forte influência sobre a população, principalmente local

A cidade hospeda os parasitas do Poder da República e os brazilienses estão mais expostos aos efeitos nocivos dessa convivência maligna. Como resultado o que vemos é trágico: o tecido social está tomado por um processo de corrosão muito mais agressivo que em qualquer outra parte do país.

A capital é um universo degradante cujo padrão de moralidade produz as piores enfermidades(social e moral): enquanto que, de um lado, temos a riqueza de uma casta que, apesar de não produzir um só parafuso, ostenta o maior PIB per capita do país; de outro, observamos a pobreza absoluta, que literalmente cavouca no lixo para poder se alimentar. Brasília é o retrato escarrado da miséria humana, de uma população que sofre os efeitos diretos dessa alta concentração de corruptos. Por FDS (Arthur)

A matéria do Jornal de Brasília: Capital do sonho de Dom Bosco tem cada vez mais pesadelos.



22 de agosto de 2010

Você sabia que a última canção conhecida de Geraldo Vandré é um hino para a FAB?

“FABIANA” é o nome da música

Interessante reportagem da revista Trip deste mês: “Não é o Vandré”. Geraldo Vandré é o maior enigma da MPB. Hoje renega o passado e até o sobrenome.

Tirando o monte de “achismos”, por parte dos que deram a entrevista à revista — seu ex-empresário e o zelador do seu prédio, já que ele estava viajando e tampouco faz questão de receber repórteres —, estou postando a parte realmente interessante desta História. O fato é que todo mundo se mete a querer interpretar o silêncio do Vandré, as coisas que ele não diz. O mais certo é deixá-lo em paz, quieto no seu canto. Exatamente como ele escolheu. Por FDS (Arthur)

“Ao chegar ao Brasil, ele fez uma aparição no Jornal Nacional que chocou a esquerda e os simpatizantes. Geraldo defendeu a ditadura militar e disse que nunca havia apanhado”.

Humoristas protestam no RJ contra lei que proíbe fazer piada com políticos

“É como se proibissem de falar de futebol em época de Copa do Mundo”

Humoristas se reuniram na Praia de Copacabana, na Zona Sul do Rio, na tarde de muito sol deste domingo (22), para tratar de um assunto sério. Eles foram protestar contra uma lei eleitoral que proíbe que sejam feitas sátiras com candidatos durante o período de campanha eleitoral. A manifestação, que foi organizada pelo grupo Comédia em Pé, teve a participação de grandes nomes do humor nacional, como Hélio de La Peña, Marcelo Madureira e Cláudio Manoel, do Casseta & Planeta, Danilo Gentili, do CQC, Sabrina Sato, do Pânico na TV, além de Sérgio Malandro, Bruno Mazzeo, Lúcio Mauro Filho e outros.

IPEA: uma máquina de alto custo a serviço da propaganda governista

Ipea eleva gastos com diárias, passagens e estrutura e faz propaganda do governo, com levantamentos usados pela campanha de Dilma

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) transformou-se numa máquina de propaganda do governo e braço de articulação de uma política externa movida pela ideologia, deixando em segundo plano sua missão primordial. E quem banca essa mudança de rumo são os cofres públicos. A máquina montada pela atual gestão consome milhões em recursos do orçamento federal em viagens, comunicação e pessoal terceirizado. Por Regina Alvarez

Consumidor subsidia a incompetência da Petrobras


Miopia moral

Quem faz elos estratégicos com ditatoriais vende a própria alma e joga fora valores éticos

Cumplicidade interna com a corrupção sob pretexto de governabilidade e complacência externa com tiranos e violadores de direitos humanos em nome do realismo são as manchas principais da situação que se vive hoje no Brasil. Nos dois casos, os valores morais e o aperfeiçoamento da democracia são sacrificados a ganhos imediatistas. É a miopia moral que se concentra nos lucros perto e não enxerga os prejuízos a maior distância.

Em artigo intitulado "A democracia precisa de confiança", o "clarificador da cultura política" italiana Norberto Bobbio explicava porque nenhum regime democrático sobrevive à corrupção sistêmica e institucionalizada. Por Rubens Ricupero

Chávez põe militares e "milicianos" na rua

Relançamento" de um plano contra a violência para Caracas que inclui o envio às ruas das polícias militar, naval e área, das Forças Armadas, e de mais 3.000 "milicianos", civis com breve treinamento militar.

Os sinais eram muitos de que a oposição havia encontrado um tema -a violência no país e a inoperância do governo- para colocar Hugo Chávez na defensiva. O criminologista Andres Antillano, que participou da comissão para a inconclusa reforma das polícias, criticou Chávez por responder com "populismo punitivo" o golpe simbólico do jornal "El Nacional", que publicou foto do necrotério de Caracas, abrindo a polêmica.

Já Rocío San Miguel, da ONG Controle Cidadão, questionou o uso das polícias das Forças Armadas, despreparadas para atuar nas ruas.

Poderes extraordinários para governar

Governistas devem eleger 380 deputados

A previsão é de que os partidos que integram a chapa de Dilma Rousseff (PT) e Michel Temer (PMDB) elejam até 380 deputados, do total de 513 vagas na Câmara. A oposição ficaria com uma bancada em torno de 130 a 140 deputados. No Senado, os aliados de Dilma podem chegar a 54 cadeiras do total de 81 parlamentares - número superior aos 49 votos necessários para aprovar emenda constitucional. A oposição pode eleger em outubro 27 senadores. O Estado de S.Paulo

Fato: Caso Dilma ganhe as eleições, como apontam as pesquisas, quem na prática estará assumindo o poder, pela terceira vez consecutiva, é o Lula da Silva. Hoje ele já governa o país por Medidas Provisórias e desfruta maioria no Congresso. Imagine o que mais poderá vir pela frente, com um governo que tem o poder total e absoluto nas mãos? FDS (Arthur)

Ditadura lulopetista a todo galope

Polícia Federal fecha rádio crítica ao governo do Pará

A Polícia Federal fechou hoje de manhã uma rádio pirata de Belém (PA) que vinha criticando a governadora Ana Júlia Carepa (PT), candidata à reeleição.

A Radio Tabajara, famosa na cidade por suas ironias sobre os políticos locais, operava havia dois anos e meio na internet e também, de modo ilegal, no dial FM, sem nunca ter recebido ameaça de fechamento. Desde o ano passado, a rádio vinha tentando regularizar sua situação junto à Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações).

21 de agosto de 2010

O massacre midiático contra José Serra

Em esplêndido artigo publicado na edição de ontem da Folha de São Paulo, o cientista político José Augusto Guilhon Albuquerque (Entre o erro e a torcida) apontou com propriedade os erros elementares na metodologia de pesquisa do Datafolha, que levaram o instituto, na semana passada, a apresentar larga margem de vantagem de Dilma Rousseff sobre José Serra. O autor foi muito elegante e irônico ao escolher as palavras. Não sublinhou apenas o erro metodológico, mas a “torcida”. Eu digo: não é torcida, é propaganda da causa. É ação de má fé para com os brasileiros, tentando obstinada e deliberadamente enganar e conduzir os votos. Por Nivaldo Cordeiro

O arrocho de Chávez e a escalada da violência

A publicação, pelo jornal El Nacional de Caracas, de uma foto de 12 cadáveres empilhados no necrotério da capital - para denunciar a omissão do governo de Hugo Chávez diante da escalada da violência criminal na Venezuela - resultou esta semana na imposição explícita da censura a toda a imprensa do país, depois limitada a dois jornais de Caracas.



É o mais grave ato repressivo do gênero desde os tempos do ditador Marcos Pérez Jiménez, nos anos 1950. Com uma peculiaridade: a mordaça valerá de início por um mês. Isso porque haverá eleições parlamentares na Venezuela em 26 de setembro, e a questão da segurança aflige como nenhuma outra o eleitorado da nação vizinha. Editorial O Estado de São Paulo

PT e Foro de São Paulo apoiam controle da mídia

Em encontro em Buenos Aires, participantes dão respaldo ao venezuelano Chávez e elogiam Dilma

BUENOS AIRES. O maior controle estatal sobre os meios de comunicação de massa, a descriminalização do aborto e uma política regional de combate ao narcotráfico (para limitar a presença militar dos EUA na América Latina e no Caribe) foram algumas das propostas aprovadas ontem no XVI encontro do Foro de São Paulo. Da reunião participaram 600 representantes de 54 organizações políticas de esquerda da América Latina e do Caribe, entre elas o PT. No Foro, discutiu-se a “democratização dos meios de comunicação”, elogiando a Argentina. Por Monica Yanakiew - Especial para O GLOBO

A imagem da Petrobrás

Incompetência gerencial

Nenhum crítico ou inimigo da Petrobrás conseguiu, em mais de meio século, prejudicar tanto a imagem da empresa quanto o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, com suas trapalhadas em torno da exploração do pré-sal.

Em busca de recursos para o mais ambicioso de seus projetos, a maior estatal brasileira perde espaço no mercado de capitais, em vez de mobilizar investidores para um empreendimento de proporções extraordinárias. Cerca de um quarto do valor de suas ações se evaporou desde o começo do ano. A perda chega a 30%, aproximadamente, se for contada a partir do último pico, em 1.º de dezembro do ano passado. Editorial do Estado de São Paulo

Retrato de subdesenvolvimento

Pesquisa do IBGE mostra que, em 2008, 56% dos domicílios não tinham rede de esgoto

Num país que é considerado a oitava maior economia do mundo, 32 milhões de domicílios (56% do total) ainda não eram atendidos por rede geral de esgoto em 2008, sexto ano do governo Lula. Os números, com contornos de calamidade pública, foram revelados na Pesquisa Nacional de Saneamento Básico (PNSB) 2008, divulgada ontem pelo IBGE. De acordo com o levantamento, 2.495 municípios (44,8% do total) ainda eram totalmente descobertos de redes de esgoto dois anos atrás, e seus moradores tinham que recorrer a alternativas como fossas sépticas e rudimentares ou despejar esgoto em valões, rios ou terrenos vazios.

Dos temas investigados pela pesquisa do IBGE, (esgoto, lixo, abastecimento de água e drenagem), o saneamento foi o que apresentou os piores resultados e que avançou menos em relação à pesquisa anterior, em 2000. Em oito anos, só 135 cidades passaram a prestar o serviço. Por Rafael Galdo

Dados pessoais são vendidos na internet e nas ruas

Listas com informações como endereço, modelo de carro e outros dados são vendidas a R$ 100,00 a cada mil nomes

O comércio de dados confidenciais de cidadãos brasileiros atualmente é feito de maneira aberta, e não em locais reservados ou de acesso restrito a criminosos. É possível encontrar informações como endereço, telefones residencial e celular, RG, CPF e até placas de carros nas ruas de São Paulo e em sites na internet. As informações vêm de bancos de dados que, em teoria, são sigilosos.

20 de agosto de 2010

Lobby da maconha - "Maconhabras"

É triste que profissionais de renomadas universidades não alcancem a complexidade de um assunto que traz sérias repercussões para a saúde

O lobby da maconha no Brasil é um movimento forte e coeso. Tem uma ideia fixa: a legalização das drogas. Para se manter, usa elementos como uma pretensa respeitabilidade e a estratégia de confundir o debate. O primeiro tem sido conseguido com a mídia, representantes da cultura, da Justiça e até com alguns profissionais da saúde. O segundo, a confusão, fica por conta de ativistas comprometidos com a causa da legalização, cujo debate tem única dimensão: a legalização como forma mágica de resolver o problema. Por Ronaldo Ramos Laranjeira e Ana Cecília Petta Roselli Marques

O antivoto

Li por aí que, se você for se casar e quiser medir a intensidade da vida sexual a dois, é só reservar uma pia no apartamento do casal e, no primeiro ano de casamento, depositar nela uma bolinha de gude cada vez que fizerem amor. E, a partir do segundo ano, retirar uma bolinha cada vez que acontecer. Você ficará besta de ver como foi fácil encher a pia -e como parece difícil esvaziá-la.

Tirando o cinismo e o pessimismo, resta o realismo da observação: o ser humano é assim mesmo, capaz de banalizar o sublime. Mas a ideia de um monitoramento diário poderia muito bem ser aplicada à administração presidencial. Por Ruy Castro

Entre o erro e a torcida

As pesquisas eleitorais frequentemente servem às torcidas; caso contrário, as candidaturas não gastariam verdadeira fortuna com elas

Corria o ano da graça de 1985 e São Paulo, como as demais capitais, teve sua primeira eleição direta para prefeito, após longos anos de nomeação por um governador preposto do regime militar. A disputa estava polarizada entre Jânio Quadros, com o apoio popular e das elites conservadoras, e Fernando Henrique Cardoso, de longe o favorito das elites progressistas e dos intelectuais.

No dia da eleição, o desfecho era imprevisível, a não ser para as respectivas torcidas. O Datafolha fez, naquele dia, pesquisa de boca de urna -pelo que me lembro, inovação ousada- que foi um desastre em todos os sentidos da palavra. Por José Augusto Guilhon Albuquerque