nossa democracia corre risco
assine a petição online aqui


30 de outubro de 2010

Carreata de Serra em BH – uma festa grandiosa

Hino nacional e depoimento de Hélio Bicudo encerram carreata de 6 km de Serra em BH

A carreata que marcou o fim da campanha tucana à presidência da República, em Belo Horizonte, foi encerrada com a execução do Hino Nacional e um abraço forte coletivo do candidato do PSDB, José Serra, nos senadores eleitos Aécio Neves (PSDB) e Itamar Franco (PPS) e no governador reeleito Antonio Anastasia (PSDB). Serra e os aliados percorreram ao menos 6 quilômetros (km) a bordo de um jipe.



Juntando centenas de veículos - incluindo caminhões, motos e até triciclo - e skatistas, a carreata de Serra percorreu o trecho entre a tradicional Praça do Papa e o bairro da Savassi, na área nobre da capital mineira. Todo o percurso estava tomado de pedestres, e as casas no caminho estavam enfeitadas, com faixas e bandeiras. Percussionistas animaram a militância ao longo do percurso.

Direito do papa, direito do bispo

A candidata Dilma Rousseff, favorita na eleição presidencial que se decide neste domingo, cometeu na reta final mais um deslize fruto da inexperiência ou da certeza de que a imprensa e os eleitores não estariam atentos. Perguntada sobre a recomendação do papa Bento 16 aos bispos brasileiros, para que orientem seus fiéis a não votarem em quem defenda a legalização do aborto e da eutanásia, a candidata favorita reconheceu o direito do sumo pontífice expor sua opinião.

A resposta da candidata traz a marca da contradição. Poucos dias atrás, por iniciativa do partido dela, o PT, praticou-se uma violência contra o bispo de Guarulhos (SP), dom Luiz Gonzaga Bergonzini, que ao lado de outros dois líderes católicos mandara imprimir panfletos recomendando aos fiéis não votarem em partidos e candidatos que defendem a legalização do aborto. Atendendo a pedido do PT, a Justiça Eleitoral mandou apreender os panfletos, na gráfica, e a Polícia Federal cumpriu a ordem. Editorial Diário de SP

O cabo eleitoral

A presente campanha eleitoral, que chega ao fim, entra para a história como aquela em que os personagens centrais não foram nem os candidatos, nem suas propostas, mas um cabo eleitoral: o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva.

Ele foi o fator de desequilíbrio, colocando em segundo plano – na verdade, em nenhum plano – os temas que poderiam ter algum relevo, reduzindo a campanha a um plebiscito entre ele e “os outros”. Nesse embate, valeu tudo: atribuir ao adversário causas que não sustentou – como a privatização da Petrobras – e condutas que não teve, como a de forjar uma agressão que efetivamente sofreu, num ato eleitoral no Rio, semana passada. Por Ruy Fabiano

Liberdade de expressão – Por Hélio Bicudo

A criação de conselhos de comunicação estaduais é uma forma de restrição da mídia? SIM

A liberdade de expressão, que tem na imprensa sua melhor qualificação, não é vista com bons olhos por quantos se sentem intocáveis no exercício da função pública.

Quando os ventos autoritários se fazem sentir, violando os direitos fundamentais da pessoa humana, o primeiro a ser descartado é o da liberdade de expressão, buscando cerceá-la para que a verdade seja ocultada da sociedade civil, embalada pela mentira. Tivemos episódios na América Latina que bem demonstram o mal-estar de governantes que, embora eleitos inicialmente segundo as normas democráticas, não conseguem aceitar, mínimas que sejam, críticas a seu modo de atuar.

Imposto do brasileiro banca a gastança do governo

Farra fiscal custa R$ 140 bi em juros

Para bancar a despesa desenfreada do governo, Tesouro Nacional aumenta a dívida pública e consome mais impostos da população. Por dia, brasileiros já pagaram R$ 517 milhões em encargos em 2010

A gastança do governo para bancar a farra fiscal e impulsionar a candidatura à Presidência da República da petista Dilma Rousseff está custando caro ao país. A emissão de títulos públicos pelo Tesouro Nacional para financiar a farra de despesas resultou no pagamento de R$ 139,7 bilhões em juros da dívida somente de janeiro a setembro-valor nunca registrado para um período tão curto de tempo segundo levantamento realizado pelo Banco Central desde 2002. Por dia, a população arcou com encargos de R$ 517,6 milhões, ou seja, cada brasileiro bancou uma fatura de R$ 700, mais do que o suado salário mínimo (R$ 510). Por Victor Martins e Vânia Cristino

Ibama compra produto ilegal para combater fogo

Uma agenda ambiental para Marina refestelarse. Depois ficamos abismados com a China, onde a população vive morrendo envenenada sem saber por quê! Por Arthur

Licet A e Licet F, compostos de pó químico para os quais o próprio órgão não concedeu licença de uso comercial, foram adquiridos por R$ 1,3 milhão

Órgão encarregado da proteção ambiental no País, o Instituto Brasileiro dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) adquiriu, por R$ 1,3 milhão, 53 toneladas do pó químico Licet A e Licet F, produtos jamais licenciados por quem de direito: o próprio Ibama, a Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) e o Ministério da Agricultura. O Licet foi concebido para combater incêndios florestais. Por João Domingos

Integrantes do MST incendeiam sítio em Pederneiras

Marginais! Quem vai parar essa gente? A Dilma? – Arthur

A propriedade tinha sido invadida em 2009. Fazendeiro diz que os invasores o impedem de produzir

Cinco dias depois de terem sido despejados do Sítio Santa Marina em Pederneiras, integrantes do Movimento dos Sem-Terra (MST) e da Federação dos Trabalhadores Assalariados Rurais do Estado de São Paulo (Fetaresp) voltaram ao local e atearam fogo no pasto. As chamas consumiram metade da área total da propriedade, de 31 hectares. De acordo com o dono do sítio, Antonio Aversa Neto, o caseiro reconheceu alguns dos despejados entre os autores da queimada. 'Eles ainda o ameaçaram, dizendo que voltarão a invadir o sítio depois da eleição'.

Marqueteiro do Recife diz que Dilma perde as eleições


O publicitário Marcelo Teixeira, da empresa Makplan e que já trabalhou para tucanos e petistas pelo Brasil, analisou os últimos números da pesquisa Datafolha e diz que Dilma pode até ganhar as eleições, mas que as chances maiores de vitória são do candidato tucano José Serra. Quando todo mundo dizia que Dilma levaria no primeiro turno, em entrevista exclusiva ao Blog de Jamildo, analisando os mesmos dados do Datafolha, ele antecipou que haveria segundo turno.

“Lula não conseguiu fazer a candidatura dela decolar. Ela é ruim de palanque e mesmo com o apoio quase totalitário não deslanchou nas urnas”, declara.

29 de outubro de 2010

Fernando Henrique encampa passeata pró-Serra no centro de SP

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso participou nesta sexta-feira (29), último dia da campanha eleitoral à Presidência, de passeata pela candidatura de José Serra (PSDB), nas ruas do centro da capital paulista.


Além de FHC, participaram o governador eleito Geraldo Alckmin, o prefeito Gilberto Kassab, o senador eleito Aloysio Nunes e o vice-governador eleito Guilherme Afif Domingos, além de artistas como ator Juca de Oliveira e o cantor Eduardo Araújo.

Faixas se destacavam entre as centenas de bandeiras com rosto e o número do candidato. “Chega de impunidade. Grande buzinaço contra a censura”, dizia um dos cartazes. Outra das faixas lembrava da polêmica sobre o aborto: “Vote a favor da vida”, com balões saindo das bocas de crianças. Camisetas também traziam a inscrição “o bem sempre vence”, em referência ao slogan “Serra é do bem”. Veja mais fotos da passeata aqui - UOL

‘Governo fez pré-sal perder seriedade', diz especialista

Os anúncios sobre o petróleo são verdadeiros, transparentes e sem interesses eleitoreiros? Em quais pontos a Petrobras, de fato, beneficia a população brasileira, para ser usada na campanha? A dois dias do segundo turno, novas descobertas são anunciadas pela ANP, colocando o pré-sal no palanque político mais uma vez.

Em apenas uma semana, três notícias sobre novas reservas de pré-sal foram divulgadas no país. Cada uma delas se refere a áreas diferentes de exploração: o campo de Libra, na bacia de Santos, os poços em águas ultraprofundas na bacia Sergipe-Alagoas, e o rumor de que haja mais petróleo nos blocos BM-S 9, BM-S 40 e BM-S 12, em Tupi. Essa terceira descoberta teria, segundo os mesmos rumores, potencial de exploração de 68 milhões de barris. Por Ana Clara Costa

Interferência papal

Mobilização de bispos faz Bento XVI defender participação do episcopado em questões políticas

O Papa Bento XVI disse ontem, no Vaticano, durante discurso para 14 bispos da Regional Nordeste 5 (Maranhão), que o episcopado tem "o grave dever de emitir um juízo moral, mesmo em matérias políticas". Sem mencionar diretamente a eleição presidencial de domingo no Brasil, o pontífice criticou propostas de descriminalização do aborto.

- Quando os projetos políticos contemplam, aberta ou veladamente, a descriminalização do aborto ou da eutanásia, o ideal democrático, que só é verdadeiramente tal quando reconhece e tutela a dignidade de toda pessoa humana, é atraiçoado nas suas bases - afirmou o papa. Por Gerson Camarotti

Médicos repudiam frases de Lula contra Kligerman

Academia Nacional de Medicina divulga nota se dizendo "indignada com a falsa acusação”

A Academia Nacional de Medicina divulgou ontem uma nota de repúdio contra a acusação de que o médico Jacob Kligerman teria participado de uma farsa ao atender o candidato José Serra (PSDB) quando o tucano foi agredido, no último dia 20, em ato de campanha no Rio. Na ocasião, o presidente Lula se referiu à agressão e ao atendimento a Serra prestado por Kligerman como uma farsa.

Na nota, a Academia, "reunida em sessão plenária (ontem), pela unanimidade dos presentes, indignada com a falsa acusação feita a um de seus membros, Dr. Jacob Kligerman", declara que ele "é um dos acadêmicos mais respeitados por seu valor profissional e sua permanente atualização na especialidade de cirurgia de cabeça e pescoço". A nota diz ainda que o médico "sempre pautou sua atividade profissional no respeito aos direitos de seus pacientes e, ao mesmo tempo, no mais rigoroso cuidado com a ética médica". O Globo

Imprensa, estão chocando o ovo da serpente

Forças solertes se articulam para lenta e inexoravelmente destruírem conquistas seculares. A liberdade de imprensa é o fundamento dos países soberanos e apanágio dos homens livres. O avanço da civilização não se fez, e desde as conquistas da Revolução Gloriosa [1685-1689] que, na Inglaterra, eliminou o Absolutismo e introduziu o Parlamentarismo, e da Revolução Francesa [1789-1799] que trouxe à luz solar os princípios norteadores de Liberdade, Igualdade e Fraternidade, sem a participação essencial da imprensa. Desde então os países a consagraram em suas Cartas Magnas. É a imprensa a primeira instituição a ser atingida quando os inimigos da liberdade se preparam para darem o bote contra a Democracia. Por Sebastião Carlos

Manobra fiscal [irresponsável] de Lula faz aumentar inflação

O Copom, comandado por  Meirelles,
apela em nome do equilíbrio no Orçamento,
objetivo esquecido pelo ministro Guido Mantega
Meirelles omite risco da gastança

O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, voltou ontem a alertar para os riscos de o mundo mergulhar em uma nova crise, provocada por bolhas de ativos e de crédito. O aviso de Meirelles ficou, porém, pela metade. Ele não quis falar sobre os riscos que o Brasil enfrenta por causa da bolha criada pelos excessos de gastos públicos, que tem pressionado a inflação e obrigado o Comitê de Política Monetária (Copom) a manter a taxa básica de juros (Selic) nas alturas - 10,75% ao ano.

"Meirelles pode não verbalizar publicamente a preocupação do BC com as manobras fiscais do governo. Mas basta ler a ata do Copom (divulgada ontem) para saber o que a instituição está pensando a respeito das artimanhas da Fazenda", disse um executivo presente no encontro da Amcham. "Na verdade, todo mundo está muito assustado com a destruição da credibilidade das contas públicas. O governo Lula não podia ter feito isso", acrescentou.

Refinarias da Petrobrás são as mais caras do mundo

Estudo mostra que as refinarias da Petrobrás em Pernambuco, Maranhão e Ceará vão custar mais que o dobro da média internacional.

Polêmicas desde o anúncio do projeto, as novas refinarias da Petrobrás estão entre as mais caras do mundo, revela levantamento do banco Credit Suisse. A ampliação do parque de refino - necessária ante o aumento da produção nos próximos anos - voltou a ser criticada pelo mercado como um dos fatores que devem segurar a cotação das ações da estatal. O argumento é que o refino, ao contrário da área de exploração, traz margens pequenas de ganho, enquanto exige um volume extraordinário de recursos. Os custos das unidades programadas e a sua localização são os principais alvos de críticas. Por Kelly Lima

Nos bastidores, Collor negociava a BR

Senador, que já indicara um diretor da estatal, queria botá-lo na presidência, mas divulgação suspendeu negociação

A confirmação e divulgação do fato de que o senador Fernando Collor (AL) nomeou pelo menos um diretor da BR Distribuidora, subsidiária da Petrobras, puseram areia nos planos do ex-presidente e do seu partido, o PTB, que pretendiam tomar conta da empresa. Isso já estava sendo acordado nos bastidores, em caso de vitória da candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, segundo interlocutores da empresa. A frente da negociação teria sido assumida pelo líder do PTB, o senador Gim Argello (DF), que se tornou o mais novo amigo de Dilma e do Planalto nos últimos meses. Por Geralda Doca

Produção da Petrobras cresceu mais com FHC

Número de barris de petróleo subiu 109% nos oito anos do governo tucano, contra alta de 30% na gestão de Lula

Um dos principais temas da reta final da campanha presidencial no segundo turno, a Petrobras apresentou um crescimento na produção de petróleo maior no governo tucano que na atual gestão petista. Segundo dados do "Valor Data" - segmento de pesquisa do jornal "Valor Econômico" -, nos oito anos sob a gestão de Fernando Henrique Cardoso, a estatal passou de uma produção diária de 716 mil barris, em 1995, para 1,5 milhão de barris/dia, em 2002, ou seja, um crescimento de 109%. Já no governo Lula, a produção passou de 1,540 milhão de barris/dia, em 2003, para 2,002 milhões de barris/dia em 2010, segundo dados de até agosto, o que representa um crescimento de 30%. Por Henrique Gomes Batista

28 de outubro de 2010

Em Goiás, dono de instituto de pesquisa é preso por fraude

A Polícia Civil de Goiás prendeu ontem à noite, em Anápolis, 20 pessoas acusadas de participar de um esquema de compra de votos, entre elas o dono de um instituto de pesquisa local contratado pela campanha do candidato do PMDB ao governo,Iris Resende.

Os suspeitos foram ouvidos pela Polícia Federal nesta manhã. A suposta fraude consistia em, à guisa de pesquisa qualitativa, apresentar um vídeo sobre o programa de governo de Íris – destacando sua vinculação candidata Dilma Rousseff (PT) – e outro do adversário do PSDB, Marconi Perillo. No fim, eram oferecidos R$ 50,00 cash para quem decidisse votar em Íris.

O caso foi denunciado pelo deputado estadual Daniel Goulart (PSDB) e depois de abrir inquérito a polícia chegou ao local onde era feita a tal “pesquisa”. Segundo o Ibope, a eleição em Goiás está tecnicamente empatada. Jorge Felix – Portal IG

Um assunto muito sério

Embora desagrade a alguns, o aborto vem ocupando um lugar de destaque neste segundo turno das eleições. Alegam que há matérias mais importantes a serem discutidas, o que é um equívoco, pois o aborto - como outros assuntos que envolvam a vida humana - é tema legítimo e relevante em qualquer sociedade avançada.

Inadmissível é uma candidata à Presidência tentar ocultar suas convicções e opiniões, pensando somente no ganho eleitoral. É simplesmente patético vê-la jogar no lixo a própria dignidade, negando hoje o que disse ainda ontem, como se fosse possível apagar o passado. Por João Luiz Mauad

São Paulo: número de assassinatos cai 13%. A melhor marca desde 1995

DOIS EXEMPLOS DE GESTÃO:

1) Índice mostra queda entre julho e setembro; é o segundo trimestre consecutivo com redução de homicídios. Os homicídios dolosos (intencionais) caíram 13% no Estado de São Paulo entre julho e setembro, de acordo com dados divulgados pelo governo. Passaram de 1.078 registros no ano passado, em período equivalente, para 937 no terceiro trimestre de 2010. Os números, que ainda não foram divulgados oficialmente - só serão conhecidos no próximo sábado - mostram que este será o segundo trimestre consecutivo de redução de mortes violentas no Estado. Essa será também a melhor marca para o trimestre desde 1995, ano em que o governo passou a colocar à disposição os dados de violência no Estado, por força da lei 9.155/95. Folha de São Paulo

2) Quem fracassa com lojinha de 1,99 também fracassa com Usina:
Leia abaixo: Usina avalizada por Dilma no RS deu prejuízo Idealizada em 2000 pela hoje candidata petista e por Valter Cardeal, a Termogaúcha nunca saiu do papel

STF: Ficha Limpa já vale

Supremo decide que Jader Barbalho não poderá ser diplomado; decisão será a mesma para outros

Em sessão longa e tensa, com bate-bocas entre ministros, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu ontem que o deputado Jader Barbalho (PMDB), eleito senador pelo Pará com 1,8 milhão de votos nas eleições de 3 de outubro, não será diplomado, nem assumirá a vaga no Senado. A decisão, segundo o presidente do STF, Cezar Peluso, vale para os outros casos de candidatos que renunciaram a mandato para escapar de cassação, mas não é possível estender a decisão a todos os demais casos de políticos enquadrados na Lei da Ficha Limpa. Peluso avisou que a decisão valerá também para o candidato do PT ao Senado pelo Pará, Paulo Rocha, também enquadrado na lei por ter renunciado ao mandato de deputado em 2005. A validade integral da lei para as eleições deste ano será ainda analisada pela Corte. Por Isabel Braga, Catarina Alencastro e André de Souza

Manobra contábil afeta credibilidade

Quando era oposição, o PT execrava a economia de recursos públicos para pagar juros da dívida. A busca por este superávit, chamado de primário - por não considerar, na sua formação, despesas financeiras -, era demonizada, pois serviria para pagar juros a "banqueiros" e "rentistas", usurpadores do dinheiro do "povo". Mas, no poder, o partido teve de se curvar à sensatez de sua liderança, com o presidente Lula à frente, demonstrada na adoção da correta política de acumulação de superávits primários, a fim de evitar o descontrole na administração da dívida pública. Precisou aposentar o discurso a favor de "calotes" nos credores. Afinal, milhões de assalariados e trabalhadores têm poupança e pecúlio aplicados em títulos públicos. Eles constituem parte dos "rentistas". Editorial O Globo

Herança Maldita de Lula

Próximo presidente terá que elevar as receitas para corrigir a farra fiscal comandada por Lula e Guido Mantega

A gastança pública promovida pelo governo Lula, intensificada neste ano para turbinar a candidatura da petista Dilma Rousseff à Presidência da República, agravou as divergências entre o Ministério da Fazenda e o Banco Central e colocou em xeque a solidez fiscal do país. Dado o forte aumento das despesas e a vinculação orçamentária que dificulta cortes, analistas estimam que, para manter o mínimo de equilíbrio nas contas, o próximo comandante do país terá que recorrer ao aumento de impostos e ao retorno de recolhimentos semelhantes à extinta Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) para cobrir o alto custo da máquina. Eles ressaltam ainda que, sob a tutela do ministro Guido Mantega, o Tesouro Nacional praticamente esgotou o arsenal de maquiagem para criar superavits fiscais falsos. Por Ariel Caprioli

Um mito de papel

"Não me importo de ganhar presente atrasado. Eu quero que o Brasil me dê de presente a Dilma presidente do Brasil", conclamou Lula, do alto de um palanque, dias atrás. Não foi um gesto fortuito. Antes, a Executiva do PT definira a campanha "Dê a vitória de Dilma de presente a Lula". Aos 65 anos, a figura que deixa o Planalto cumpre uma antiga profecia do general Golbery do Couto e Silva. O "mago" da ditadura militar enxergara no sindicalista em ascensão o "homem que destruirá a esquerda no Brasil". Quando o PT trata a Presidência da República como uma oferenda pessoal, nada resta de aproveitável no maior partido de esquerda do País. Por Demétrio Magnoli

Papa condena aborto e pede a bispos brasileiros que orientem politicamente fiéis


Papa pediu que bispos brasileiros
orientem fiéis



Bento XVI afirmou que católicos devem 'usar o próprio voto para a promoção do bem comum'

Em reunião em Roma na manhã desta quinta-feira, 27, o papa Bento XVI conclamou um grupo de bispos brasileiros a orientar politicamente fiéis católicos. Sem citar especificamente as eleições de domingo, o papa reforçou a posição da Igreja a respeito do aborto e recomendou a defesa de símbolos religiosos em ambientes públicos. "Quando projetos políticos contemplam aberta ou veladamente a descriminalização do aborto, os pastores devem lembrar os cidadãos o direito de usar o próprio voto para a promoção do bem comum", disse.

Falando a bispos do Maranhão, Bento XVI reconheceu que a participação de padres em polêmicas podem ser conturbadas. "Ao defender a vida, não devemos temer a oposição ou a impopularidade", continuou.

27 de outubro de 2010

Multidão recebe José Serra no Recife

Um verdadeiro arrastão de militantes e jornalistas acompanhou a caminhada do presidenciável José Serra (PSDB) pelas ruas do Recife, nesta quarta-feira (27). Era quase impossível ver o presidenciável, que mal conseguia andar. Todos queriam, não apenas vê-lo, mas tirar fotos e pegar autógrafos, fazendo com que ele demorasse quase 1h para atravessar a rua da Imperatriz, rua do Centro da cidade.


Ao chegar no final da rua, o candidato entrou em um carro preto e foi interrompeu a caminhada. Poucos perceberam a ausência do presidenciável e a caminhada continou. Na rua Nova, muitos ainda esperavam pela passagem de Serra. O presidente estadual do PSDB, Evandro Avelar, era um deles. Ao ser questionado pelo Diario sobre onde estava o candidato, respondeu: “Não sei. Estou esperando ele passar por aqui.” - Por Júlia Schiaffarino

Cabral (Rio) e Alcides Rodrigues (Goiás): quando falta vergonha na cara!

Cabral cria feriadão para ampliar abstenção no 2º turno
O governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), criou um feriadão nos dias seguintes ao final de semana do segundo turno para tentar ampliar a abstenção em reduto do tucano José Serra, a zona sul da capital fluminense. Cabral adiou de amanhã para segunda-feira, dia 1º, a comemoração do Dia do Servidor Público no Estado. Na terça é Dia de Finados, o que, somando-se ao final de semana, dá quatro dias sem trabalho para os fluminenses, estimulando que eleitores de renda mais alta deixem o Rio na eleição. Por Tathiana Barbar - Blog das Eleições Folha


Governador de Goiás cria feriado prolongado
O governador de Goiás, Alcides Rodrigues (PP), assinou decreto que transfere o feriado de hoje - Dia do Servidor Público - para sexta e cria ponto facultativo nas repartições públicas na segunda (véspera do Dia de Finados). Na prática, isso cria um feriado prolongado de cinco dias em meio ao segundo turno, no domingo. Disputam o governo Marconi Perillo (PSDB) e Iris Rezende (PMDB), apoiado por Rodrigues. A decisão desagradou aos tucanos. Segundo pesquisa do partido, 80% dos servidores estaduais apoiam Perillo. Segundo o governo de Goiás, o decreto não tem conotação política. Por meio da assessoria, Rezende afirmou que não se manifestaria. Folha de São Paulo

De que lado você está?

É válido ser neutro quando o presidente vira dono de uma facção?

Quando trabalhava num museu cheio de ossos e de artefatos indígenas cheirando a naftalina e mofo, eu - recém-chegado de Harvard e contrariamente ao meu projeto de ser apenas um pesquisador - fui galgado à posição de coordenador de um programa de ensino e pesquisa. A saída de seu fundador promoveu a minha entrada na "burro-cracia" federal da universidade e, de repente, eu me vi na posição de liderar um grupo de pessoas que mal conhecia. Éramos todos contra a ditadura militar que então governava um Brasil administrado pelo arbítrio e sem a regra de lei que entre nós, humanos, sempre instáveis e interessados, ajuda a manter a coerência; e, eventualmente, mas nem sempre, garante o uso de um só peso e medida. Por Roberto DaMatta

A mordida de R$ 1 trilhão. É preciso sustentar a companheirada

O brasileiro já pagou mais de R$ 1 trilhão de impostos e contribuições em 2010. Até o fim do ano terá pago cerca de R$ 1,27 trilhão e terá trabalhado mais de quatro meses para sustentar a máquina pública, uma das mais caras do mundo, mas nem de longe uma das mais eficientes. A marca do trilhão foi alcançada ontem, por volta de uma hora da tarde. No ano passado, a cifra com 13 algarismos apareceu 46 dias depois, em 14 de dezembro, no Impostômetro da Associação Comercial de São Paulo. A voracidade fiscal continua aumentando. Editorial Estadão

Mágicos das contas

O governo Lula está produzindo o maior retrocesso na História recente do país na transparência das contas públicas.

Ontem foi um dia de não se esquecer. Dia em que o governo fez a mágica de transformar dívida em receita. E assim produziu o maior superávit primário do país em setembro, quando, na verdade, o Tesouro teve um déficit de R$ 5,8 bilhões. O passo a passo do governo nessa confusão é o seguinte: Por Miriam Leitão

O voto kamikaze do eleitor brasileiro

A candidata do PT à Presidência, à frente em todas as pesquisas de intenção de voto e, por esta razão, teoricamente, com possibilidade de estar anunciando agora não mais propaganda mas medidas próximas do que faria se eleita fosse dentro de cinco dias, jogou na praça um lote de novos enigmas para seu eleitor decifrar.

Depois de ter enviado ao Tribunal Superior Eleitoral, para efeito de cumprimento da legislação, uma ata de reunião do PT a título de programa de governo, e fazer em seguida uma correção nessa peça para retirar as propostas polêmicas com mais potencial para perder do que para ganhar votos, anunciou esta semana, portanto, quase na boca da urna, alguns princípios que nortearão seu programa de governo, o real, supostamente a ser apresentado em janeiro, na posse, se eleita for. E o que se viu foi desprezo ao eleitorado que se interessa pelo tema, igual ao que dispensou quando mandou sem ler a ata de reunião do PT. Por Rosângela Bittar

Eleições e liberdade

Lula não sossega enquanto não conseguir amordaçar a imprensa. E quer que Dilma faça o mesmo caso vença

Os jovens com menos de 20 anos no domingo escolherão, juntamente com os demais eleitores, quem vai governar o País pelos próximos quatro ou oito anos. Destaco o voto dessa moçada por um razão especial: eles nunca sofreram restrições à sua liberdade de expressão, nunca viveram em regime de exceção, já nasceram na democracia. Talvez possa parecer a eles uma total excentricidade ouvir de seus pais ou professores que exista pairando sobre nossas cabeças ameaças à liberdade de expressão no Brasil.

OS NOVOS GOLPISTAS - Margrit Schmidt

Dilma no limite

"Vocês podem ter certeza, eu estou preparada para ser a primeira mulher presidente do Brasil". Foram as últimas palavras pronunciadas por Dilma Rousseff no debate da TV Record, já no início da madrugada de ontem. Quando um evento como esse chega ao fim e, mais uma vez, ela parece ter sobrevivido, seus assessores só podem comemorar aliviados -ufa!

O fato é que Dilma não inspira certeza sobre nada. É aflitivo vê-la na TV. Não apenas pelo aspecto rombudo e robótico da sua figura. A aflição de Dilma está estampada no ritmo da sua fala, ao mesmo tempo lenta e acelerada, feita de arranques e soluços, de frases decoradas mas quase sempre truncadas. Por Fernando de Barros e Silva

Versões de Erenice

Parece claro que, com suas negativas, Erenice buscava poupar sua ex-chefe, Dilma

Revelaram-se falsas as veementes e repetidas declarações da ex-ministra Erenice Guerra de que jamais se reunira com empresários beneficiados pelos serviços da firma de lobby de seu filho. Como relatado em setembro nesta Folha, a ex-secretária-executiva da Casa Civil encontrou-se, no final de 2009, com representantes de uma empresa de Campinas interessada em liberar um empréstimo bilionário do BNDES. À época, a pasta era chefiada pela hoje candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff. Erenice vinha negando, desde então, ter participado da reunião. Anteontem, em depoimento à Polícia Federal, voltou atrás e admitiu ter recebido os empresários na sede do governo federal. Editorial Folha de São Paulo

Dilma carne de pescoço é um poço de mentiras

Dilma na Record: Como pode uma candidata ter a coragem de mentir tão descaradamente? Tratar os eleitores como um bando de burros? A petista foi desmentida pelo O Globo, item por item, em suas afirmações dadas durante o debate da Record. Só mesmo sendo muito otário, ou companheiro de boquinha, para confiar e apoiar uma pessoa tão inescrupulosa como ela. Por Arthur

1) Dilma permitiu a privatização do Pré-Sal - Ex-diretor da Petrobrás contesta Dilma. Os leilões ocorreram mesmo depois da descoberta do pré-sal - o chamado "filé mignon" das reservas brasileiras

26 de outubro de 2010

Embrião autoritário

No Ceará, o PT tenta fazer o seu laboratório de censura à imprensa e a emissoras de rádio e TV

No fim daquele convescote de liberticidas chamado Conferência Nacional de Comunicação (Confecom), em 2009, diretórios do PT prometeram ao Planalto levar adiante a orientação do governo Lula de manietar a imprensa. Agora, começaram a levar a cabo a operação inconstitucional. A Assembleia Legislativa do Ceará aprovou a criação de um Conselho Estadual de Comunicação Social (Cecs). O projeto, da petista Rachel Marques, revela com despudor a intenção de estabelecer mecanismos de controle de jornais e emissoras. Seu texto diz que o Cecs monitorará “abusos e arbitrariedades dos meios de comunicação”. Leia-se: notícias que prejudiquem as ambições petistas. O projeto avoca para o conselho estadual a fiscalização das licenças de rádios e TVs, concessões federais. Prevê que as verbas oficiais destinadas à publicidade deixarão de ser aplicadas em conformidade com critérios técnicos. Para garantir o controle do Cecs pelo PT, estabelece que seja composto na maioria de representantes de “movimentos sociais”, a massa de manobra do partido.

De presidente a cabo eleitoral!

Nunca antes neste país um torneiro mecânico foi presidente da República. Nem nunca antes o seu presidente, a mais alta autoridade, foi cabo eleitoral de auxiliar. Lula, presidente da República, desprezou a liturgia do cargo e desceu ao picadeiro dos circos de terceira categoria. Ao pedir voto, Lula confessa, publicamente, ser “cabo eleitoral” e ao defender a sua candidata apela com promessas, mentiras e ainda tenta induzir a sociedade que, esta é competente e tem toda experiência necessária a qualquer Chefe de Estado, apesar de nunca ter assumido cargo executivo com poder pessoal de decisão e não tem projeto nacional de governo que possa explicar a razão do ser candidata e de governar um país com múltiplas complexidades em todas as áreas, da economia ao social. Algo pode atropelar o seu projeto de continuísmo, o que não significa competência. Opinião O Estado Online - Ceará

O homem do carro preto

Em janeiro de 2002, o prefeito petista de Santo André, Celso Daniel, foi sequestrado, torturado e morto a tiros. Desde a primeira hora, o seu partido fez o que podia para que a polícia considerasse o assassínio do companheiro crime comum. Mas não conseguiu evitar que, ao cabo de 5 anos de investigações, o Ministério Público paulista concluísse que Daniel foi eliminado por uma razão incomum. Ele queria acabar com a "privatização" das propinas arrecadadas de empresas de transporte da cidade. O esquema era operado pelo segurança do prefeito, Sérgio Gomes da Silva, o Sombra - preso e prestes a ser julgado como mandante do assassínio do chefe. Editorial  O Estado de S.Paulo

Proposta de Serra já soma 200 páginas

A campanha do candidato do PSDB à Presidência da República, José Serra, não divulgou seu programa de governo. No entanto, a equipe de formulação do programa de governo, coordenada pelo ex-secretário de Meio Ambiente do governo de São Paulo, Xico Graziano, já elaborou um documento com mais de 200 páginas sem, por outro lado, torná-lo público. A opção foi a divulgação das principais ideias em formato de tópicos no site do candidato na internet. Desde setembro, a campanha tucana vem incluindo as propostas, separadas por temas e Estados.

Na área econômica, José Serra propõe a redução da taxa real de juros e uma política cambial "que não prejudique a competitividade do produto brasileiro". O candidato não explica, contudo, qual tipo de medida tomaria para frear a desvalorização do dólar no país. Por Ana Paula Grabois e João Villaverde

A 5 dias da eleição, Dilma divulga cartilha improvisada de 8 páginas. Eis seu compromisso para com os brasileiros


Isto sim, é carne de pescoço

Dilma apresentou ontem sua “cartilha-meia boca” – o termo é feio, reconheço, mas não é mais indecente que a atitude da petista e sua turma – que tiveram o desplante de apresentar um lixo feito às pressas, como plano de governo.

Tanto faz que tenha 8 páginas ou meia dúzia esse pedaço de papel. O fato é que o plano de governo original da candidata, apresentado no TSE, provocou o repúdio da sociedade e eles tiveram que desfigurar o projeto ditatorial petista - o que acabou por redundar nas tais 13 propostas ocas. A coisa foi tão avacalhada e improvisada que não havia nem mesmo cópias suficientes da cartilha para todos que participaram do evento ontem em São Paulo.

Pior foi a emenda: se dependesse de Dilma, essa cartinha seria levada ao conhecimento do povo brasileiro, pela TV, como propaganda eleitoral. Já o Marco Aurélio TOP TOP Garcia, justificou a palhaçada dizendo que a cartilha era sucinta porque "ninguém mais lê". Por Arthur

Leia: A cinco dias da eleição, Dilma divulga propostas

O bispo de Cajazeiras

Macedinho, o comendador, foi secretário particular de Café Filho. Depois, secretário de Ademar de Barros. Houve eleições para a Presidência da República, Ademar perdeu, estava amolado, chateado. De manhã cedo, entra no gabinete o comendador Macedinho, todo lépido:

– Governador, está aí fora o bispo de Cajazeiras, aquele amigo seu.
– Amigo meu, é? Amigo do dinheiro. Me levou 3 mil contos para a campanha e eu perdi lá. Não recebo não.
– Mas, governador, não fica bem. Afinal de contas, é um bispo, um príncipe da Igreja.
– E eu com isso? Não tenho nada com o império dele.

ADEMAR
Macedinho insistiu, Ademar resolveu ceder:
– Está bem, manda ele entrar e bota na sala. – Por Sebastião Nery

Teste para a liberdade de imprensa

São conhecidos os ingredientes do kit de inspiração bolivariano-chavista de cerceamento das liberdades de expressão e, em particular, de imprensa.

Nos mais diversos estágios, o kit é aplicado no Equador, Bolívia e Argentina. No seu lugar de origem, a Venezuela, foi fácil instituir normas restritivas ao trabalho da imprensa depois que a oposição, num enorme equívoco, decidiu não disputar as eleições legislativas de 2005, e permitiu ao caudilho Hugo Chávez controlar o Legislativo. Manietar a Justiça terminou sendo uma decorrência natural.

No Brasil, a primeira parte do método de instituição de mecanismos estatais de vigilância da imprensa independente, profissional, já foi aplicada, na forma da Conferência Nacional de Comunicação (Confecom) - como em outros países -, na qual teatralizou-se a participação da "sociedade" em reuniões regionais para o recolhimento de sugestões de normas de "controle social da mídia". Opinião O Globo

O Executivo é a lei

Abuso na edição de medidas provisórias mostra poder do governo sobre Legislativo, que só deverá aumentar na hipótese de vitória petista

O tema do excesso de medidas provisórias editadas pelo Executivo não é novo. Data do governo José Sarney (1985-1990), o primeiro autorizado a utilizar esse instrumento, instituído pela Constituição de 1988, que substituiu o decreto-lei- com o mesmo propósito de permitir ao Executivo legislar de modo sumário.As medidas provisórias entram em vigor a partir do momento em que são editadas e têm prioridade na pauta, pois 45 dias após sua chegada à Câmara trancam a apreciação de outras matérias caso não tenham sido votadas. Há duas décadas representantes da oposição e da opinião pública têm criticado os exageros dos sucessivos governos federais, que, por conveniência, passaram a privilegiar as MPs em detrimento dos projetos de lei. Editorial Folha de São Paulo

Percepção de corrupção piora sob Lula, diz ONG

O Brasil continua sendo visto como um país mais corrupto que a África do Sul, a ditadura na Tunísia, Malásia, Arábia Saudita, Botsuana, Turquia, Gana e Ruanda.

Crescimento da economia, a organização da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos, distribuição de alimentos por programas sociais e um líder "carismático" estão abafando problemas profundos de corrupção no Brasil. O alerta é da entidade Transparência Internacional, que publica hoje sua classificação anual dos países considerados os mais corruptos do mundo. Pelo ranking da organização não governamental, a percepção é de que corrupção hoje no Brasil é pior que no início do governo Lula. Por Jamil Chade

Governo Lula não cumpriu metas

A questão da habitação tem andado em um ritmo lento nos quase oito anos de mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Até o principal programa do governo para o setor, o Minha Casa, Minha Vida, obteve desempenho abaixo do esperado.

Depois de um ano e meio de vigência, foram entregues apenas 181.641 casas, de um milhão de unidades prometidas. A situação é pior entre as famílias mais pobres, com renda de até três salários mínimos e nas quais se concentra o déficit habitacional. Neste caso, foram entregues somente 70.608 unidades - o que representa 17,6% da meta estipulada para este segmento: 400 mil. Editorial O Globo

25 de outubro de 2010

Escárnio eleitoral

A fim de garantir a vitória de um aliado, Lula não viu problema em carrear alguns bilhões de reais para estatal goiana

Parece não haver limites para o desprezo pelo dinheiro do contribuinte no Brasil.
Pouco destaque na mídia ganhou a operação de ajuda montada pelo governo federal para tirar da berlinda, com recursos da Caixa Econômica Federal e da Eletrobras, a combalida estatal de energia de Goiás, a Celg. Em um acordo de pai para filho, autorizou-se em 13 de outubro o despejo de R$ 3,7 bilhões na companhia goiana, a juros de 6% ao ano e duas longas décadas para o pagamento. Por Márcio Pacelli

Um estelionato por dia

Parece ser a sina dos tesoureiros do PT. Desta vez, é João Vaccari Neto, o atual guardião das finanças do Partido dos Trabalhadores, quem está prestes a se sentar no banco dos réus. Na semana passada, ele foi denunciado à Justiça por formação de quadrilha, falsidade ideológica, estelionato e lavagem de dinheiro. Os crimes referem-se ao golpe que, segundo o Ministério Público (MP), ele aplicou juntamente com outros dirigentes da Bancoop, a Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo. Desde a sua fundação, em 1996, a Bancoop é dirigida por sindicalistas ligados ao PT. De 2004 a 2010, ela foi presidida por Vaccari. O trambique comandado pelo tesoureiro petista funcionava da seguinte maneira: Por Laura Diniz

Outras pesquisas mostram uma realidade bem diferente para José Serra

Ao contrário das pesquisas do Datafolha, Ibope e outros institutos, que cravam algo como dez pontos percentuais de diferença entre José Serra e Dilma Rousseff, os trekkings diários encomendados pelo PSDB têm mostrado uma situação diferente: empate.

Realizadas sob a coordenação de Antonio Prado Júnior, o Paeco, essas pesquisas têm oscilado entre um e quatro pontos pró-Serra, alternando com um e três pontos pró-Dilma. Ou seja: oscilando entre 48% e 52% nos votos válidos para um lado e para o outro.

Em Minas, essas mesmas pesquisas também registram um empate: 50% a 50% nos votos válidos. Aliás, para o comando tucano vencer em Minas é vital para um eventual triunfo no domingo.

Nunca é demais ressaltar que, embora encomendados pelos tucanos, foram esses mesmos trekkings que nos dez dias que antecederam o primeiro turno mostravam que haveria segundo turno. Por Lauro Jardim - Revista Veja

'Evangelho da vida foi o vencedor', diz bispo

Em carta aos fiéis, d. Luiz Bergonzini, da Diocese de Guarulhos, afirma que "nova consciência do povo" inibirá políticos que defendem o aborto. “E o evangelho da vida foi o grande vencedor”, anuncia a carta de três páginas que d. Luiz Gonzaga Bergonzini, bispo da Diocese de Guarulhos, mandou ler a todos os fiéis nas missas de ontem celebradas em 36 paróquias de seu reduto.

Artífice da reação da Igreja contra o aborto, d. Luiz reputa vitorioso o movimento que desencadeou em julho e que tanto incomodou Dilma Rousseff, candidata do PT à Presidência. Inconformado com decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que confiscou 1 milhão de cópias do folheto "apelo a todos os brasileiros" - mensagem de sua lavra contra a interrupção da gravidez -, o bispo fez da epístola ontem distribuída a 40 padres estratégia para superar o que classifica de censura.

Pacote autoritário de Lula mira grande imprensa

Tem endereço certo os quatro projetos de inspiração autoritária, conferindo ao Governo Federal, por meio da Receita Federal, o poder de promover execuções fiscais sem que o contribuinte tenha o direito de recorrer à Justiça. A chamada "grande imprensa" seria o principal alvo desses projetos que integram o "pacote de maldades" que o presidente Lula pretende deixar para o(a) sucessor(a), a partir de 1º de janeiro.

LEGADO AUTORITÁRIO
Outro projeto autoritário, que chegará ao Congresso ainda este ano, criará órgãos de controle e intimidação de veículos e jornalistas.

Idolatria por Lula e militância paga para dar quorum a comícios de Dilma

CADÊ O BUFÊ
"Disseram que ia ter bufê, mas não teve. Era mentira", reclamava a desempregada.

Campanha de Dilma foi acompanhada pela Folha nos últimos 3 dias em BH, Carapicuíba e Rio

"Muita gente vai votar nela para ele voltar depois. A verdade é que o povo já tá com saudade dele", disse na manhã de sábado a funcionária pública Cida Aguiar, 34, minutos antes de o helicóptero petista pousar em Carapicuíba (Grande São Paulo). Por Bernardo Mello Franco

No Rio, mata-mosquitos usam sindicato para promover Dilma

"Prática é ilegal", adverte Paulo Carvalho Filho, que vai levar o caso à Procuradoria da Justiça Eleitoral, em Brasília

O Sindicato de Trabalhadores de Combate às Endemias e Saúde Preventiva (Sintsaúde-RJ) tem usado o blog oficial da entidade para fazer campanha para a petista, Dilma Rousseff. O sindicato é o mesmo que promoveu a manifestação em Campo Grande, na zona oeste, quando o candidato do PSDB à Presidência, José Serra, foi agredido. O coordenador da Fiscalização da Propaganda Eleitoral na capital, juiz Paulo César Vieira de Carvalho Filho, afirmou que a prática é ilegal e vai reportar o caso à Procuradoria Regional Eleitoral, em Brasília. Por Clarissa Thomé

O andor da procissão da bonança pode desabar

Implantando o socialismo, sem necessidade de paredón, de prisão de burgueses

O presidente Lula sempre foi contra a ideia de "Estado mínimo". Sempre disse que isso era uma bobagem, que o Estado tem de ser grande e forte. A sua candidata, Dilma Rousseff, diz a mesma coisa. Ainda no exercício da chefia da Casa Civil, diante de indagações sobre a necessidade de um ajuste fiscal para que as contas do governo não enveredassem para o rumo do desequilíbrio - como está acontecendo -, reagia com irritação: por que e para que fazer ajuste fiscal, se a economia está indo bem, só para judiar do povo? A resposta, dada com frequência, embute a vontade de tingir com a pecha de contrário aos interesses do povo o conceito de ajuste fiscal e, de outro lado, a indicação de que a gastança governamental continuaria, o que agrada muito aos vorazes empreiteiros de obras públicas e a grande parte dos empresários do comércio. Por Marco Antonio Rocha

Luz para todos e dinheiro para eles

O programa do governo Lula ajudou a encher os bolsos da família de Valter Cardeal, diretor da Eletrobras e homem de confiança de Dilma Rousseff

O programa Luz para Todos é a versão petista do Luz no Campo, criado no governo FHC. Desde 2003, ele já levou energia elétrica a 2.5 milhões de famílias que dependiam de lamparinas ou geradores. Seria uma boa notícia, não fosse o fato de o Luz para Todos estar, desde o início, imerso em sombras ao menos quando o assunto é a administração de suas verbas. Na semana passada, VEJA descobriu mais um fio desencapado no programa sob responsabilidade da Eletrobras. Seu diretor de engenharia é o já bastante enrolado Valter Cardeal, homem de confiança da ex-ministra e candidata à Presidência da República Dilma Rousseff. Como um dos principais responsáveis pelo Luz para Todos, ele tem poder para liberar pagamentos e chancelar os contratos feitos com as empresas que executam o programa. Pois Cardeal achou que, se a luz era para todos, poderia também ajudar a energizar os negócios de sua família no Rio Grande do Sul. Por Fernando Mello e Igor Paulin

O país das mãos leves

Estudo inglês mostra que o Brasil só perde para a India em prejuízos causados por pequenos furtos em lojas. A explicação vai além da clássica lei de Gérson

Se for verdade que a lassidão moral da elite política apenas reflete as condutas da sociedade em geral, os brasileiros precisam se submeter a um choque de ética. Um estudo divulgado na semana passada pelo Centro de Pesquisa em Varejo da Inglaterra. concluiu que o Brasil é o segundo país que mais perde dinheiro com pequenos furtos em lojas, ao lado do Marrocos e superado apenas pela Índia. Entre julho de 2009 e junho de 2010, as principais redes varejistas brasileiras registraram 3.9 bilhões de reais em perdas com esse tipo de crime, o equivalente a 1,64% do total do faturamento. Por Julia Carvalho

24 de outubro de 2010

Sem-terra pratica triplo homicídio em acampamento

Após estuprar e matar uma mulher, o suspeito ainda matou os dois filhos da vítima com golpes de machado

O suspeito S.C.S, 34 anos, estuprou Odalice Rodrigues Machado, 29 anos e em seguida a matou com facadas e seus dois filho, uma menina de 4 anos e um menino de 5, com golpes de machadas. O caso aconteceu noacampamento de sem terra, Morrinhos, localizado em Formosa.

Eles já estavam sumidos desde o dia 22 deste mês. Ontem os moradores resolveram fazer um mutirão para encontrar a família e acharam os corpos enterrados na frente e nos fundos do local onde o autor morava. Sebastião queimou um dos corpos de uma das crianças.O suspeito estava no acampamento há dois meses e já passou por vários outros. Clicabrasilia.com.br

Pastores Silas Malafaia e Wellington Bezerra comandam carreata pró Serra em PE

Declarações de apoio do pastor da Assembleia de Deus, Silas Malafaia e do presidente da Comissão das Assembleias de Deus do Brasil, Wellington Bezerra, ao presidenciável José Serra (PSDB) deram o tom da carreata em prol do tucano neste domingo. De Itapissuma até Paulista, ao longo dos 17 km percorridos, elas se alternavam com o jingle do candidato afirmando “Serra é do bem” e frases do locutor que em cima do carro de som anunciava: “os evangélicos estão do lado certo”. Por Júlia Schiaffarino

Viúva de Chico Mendes recebe ameaças de morte


Um dia após ter o portão de sua residência derrubado por três homens não identificados, Ilzamar Mendes, viúva do líder seringueiro Chico Mendes, revelou em entrevista à reportagem de A TRIBUNA que dias atrás recebeu uma ameaça por telefone.

“Uns dois dias após eu aparecer na mídia nacional recebi uma ligação de um telefone sem identificação. A voz era de um homem que me perguntou: Você não tem medo que aconteça a você o mesmo que aconteceu a Chico Mendes? A pessoa disse apenas isso e desligou”, revela. Por Nayanne Santana


Milhares acompanham Serra em caminhada pela Orla de Copacabana

Nesta manhã de domingo, o candidato José Serra, do PSDB, iniciou sua caminhada por volta das 11 horas, pela orla de Copacabana. Em sua comitiva estavam: Senador Aécio Neves, o Aloysio Nunes (SP), Itamar Franco, Antonio Anastasia, Fernando Gabeira, Rodrigo Maia, Tasso Jereissati, ACM Neto, Caio Carvalho, Paulo Bornhausen, Agripino Maia e Indio da Costa, vice do candidato à presidência José Serra, entre outros.




Estima-se que os manifestantes a favor da candidatura de Serra tenham ocupado dois quarteirões da orla de Copacabana. Serra fez um discurso para o público concentrado no Posto 6. A Orla foi tomada por bandeiras e balões de Serra.

Serra exibiu áudio com críticas de Bicudo a Lula

Democracia ou ditadura?

Conversando com uma amiga, que dizia não entender o porquê de tanto receio ao riscode um ditadura, já que vamos votar e eleger os novos governantes e, portanto, não estamos submetidos à ditadura, argumentei o seguinte: Você tem razão, ainda não vivemos uma ditadura propriamente dita.

Mas não se pode fazer vista grossa para o fato de que o conjunto dos movimentos destes que estão no poder apontam inevitavelmente para tal. Vejamos: Por Rodrigo Borges de Campos Netto

Chico e o risco

No início da semana passada, foi anunciado no Rio de Janeiro um manifesto de dez mil artistas e intelectuais pró-Dilma Rousseff. Como se sabe, a adesão de um deles - o cineasta José Padilha, do bem sucedido Tropa de Elite 2 - acabou desmentida horas depois.

Em busca do acesso à lista integral de apoiadores de Dilma, o jornalista Lauro Jardim, do Radar, da revista Veja, procurou a campanha petista. E descobriu que apenas o sociólogo Emir Sader, idealizador do manifesto, poderia fornecer o tal manifesto. O Radar, então, ligou para Sader e fez o mesmo pedido. O sociólogo, no entanto, afirmou que não tem condições de divulgar os nomes, pois ainda está organizando a lista. Conclusão óbvia sobre uma prática bastante conhecida da "turma do bem": "por enquanto, portanto, a tal lista é ficção". Ou seja, quando anunciaram os tais dez mil "artistas e intelectuais", não os tinham, nem havia condições de mostrá-los. Por Margrit Schmidt

Líder religioso de Marina faz campanha para Serra

Líder religioso de Marina Silva (PV), o pastor Sóstenes Apolos da Silva está engajado na campanha de José Serra (PSDB). O religioso orienta pastores a falar com os fiéis em defesa do tucano.

Sóstenes preside a Convenção Evangélica da Assembleia de Deus no DF e lidera 1.300 pastores no DF e nas cidades do entorno de Brasília, e foi o principal coordenador da agenda evangélica de Marina durante a campanha. Enquanto Marina mantém a neutralidade no segundo turno, seu líder religioso faz duras críticas a Dilma: "Eu vou trabalhar até a última gota do meu suor e do meu sangue para ela [Dilma] não ser eleita", disse Sóstenes. Por Flavia Foreque

PT é "partido da morte" e da "mentira", afirma bispo de Guarulhos


Em entrevista, dom Luiz Gonzaga Bergonzini diz que, se Dilma ganhar, ele vai "lamentar" e "continuar campanha contra aborto".

Em documento distribuído à imprensa, o bispo diocesano de Guarulhos, dom Luiz Gonzaga Bergonzini, cuja campanha contra o aborto está no epicentro da disputa presidencial, chama o PT de "partido da morte" e da "mentira". Na coletiva que concedeu ontem, o religioso afirmou: "Não votem em Dilma [Rousseff]", ressalvando que sua recomendação não sugere automaticamente que o eleitor opte pelo adversário da petista, o tucano José Serra. Por Andréa Michael

23 de outubro de 2010

De capacetes, jovens serristas fazem caminhada

Após uma semana de conturbados episódios envolvendo as militâncias dos dois principais partidos que apoiam os candidatos à presidência de República, a Juventude do PSDB e de partidos aliados reuniu na tarde sábado (23) cerca de mil jovens militantes em uma manifestação para apoiar a candidatura do tucano José Serra.

Na foto: Andreia, filha do ex-governador de São Paulo Orestes Quércia (PMDB).

Ao longo das quase duas horas de caminhada ao redor da Praça Charles Miller, além das bandeiras, os jovens erguiam faixas com pedidos de votos e mensagens contra o PT. Com rostos pintados de verde e amarelo, a maioria dos jovens usava roupas azuis e capacetes com a palavra "paz" inscrita - em referência irônica ao ato de agressão sofrido pelo presidenciável tucano, José Serra, na última quarta-feira (20), no Rio de Janeiro, quando um objeto foi atirado em sua cabeça.

A fúria pela mordaça

O Ceará entrou para a história nacional como o primeiro Estado a proibir o desembarque de escravos em suas praias, quatro anos antes da abolição da escravatura de 1888. Dois séculos depois, o Estado entra na contramão da história como o primeiro a tentar implantar a censura à imprensa, um desejo ardente do governo Lula, do PT e de seus aliados. Os sucessivos escândalos no governo não incomodam o presidente. O que o incomoda mesmo é a divulgação desses crimes. Coluna do Zózimo